CadÚnico com NOVOS benefícios no mês de abril; veja as mudanças

Estar inscrito no CadÚnico (Cadastro Único de Programas Sociais) é uma forma de conseguir assistência do poder público. As pessoas que vivem em condição de baixa renda devem estar nesta plataforma para que sejam reconhecidas e consigam acessar os benefícios tradicionais, e os novos programas. 

cadúnico
CadÚnico com NOVOS benefícios no mês de abril; veja as mudanças (Imagem: FDR)

O Cadastro Único existe desde 2001, e reúne em uma única plataforma todos os dados pessoais, de renda e de vivência das famílias que se dizem pobres. São informações como: quem é o responsável pela família, onde eles vivem, qual a renda da casa, de onde vem essa renda, quais os gastos que eles possuem, e etc. 

A partir dessas informações o governo federal seleciona as famílias para que sejam beneficiadas em programas que são criados com o objetivo de oferecer assistência social aos mais pobres. É como se o poder público precisasse do CadÚnico para conseguir enxergar quem necessita de ajuda. 

Além do governo federal, o governo do estado e o governo municipal também oferecem benefícios para quem estiver neste cadastro. Cada membro da família recebe um NIS (Número de Identificação Social) e deve usa-lo para comprovar que atende aos critérios de baixa renda. 

A cada tempo novos benefícios são criados e vão usando as informações disponíveis nesta base para selecionar os contemplados. Por isso, além de fazer a inscrição é muito importante manter os dados sempre atualizados. 

Quem pode se inscrever no CadÚnico?

Se inscrever no CadÚnico não é garantia de que terá acesso automático a benefícios sociais, como o Bolsa Família. Mas, estar nesta base é o primeiro passo para conseguir os auxílios que precisa e que deseja. 

Outro ponto importante é que os requisitos para se inscrever no cadastro não são, necessariamente, os mesmos para ser aceito nos programas sociais. Cada programa possuí o seu próprio filtro e pode exigir que a família possua renda inferior a que foi limitada para estar nesta base de dados. 

Para fazer parte do CadÚnico é preciso:

  • Viver com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa; ou
  • Ter renda mensal superior a meio salário mínimo por pessoa, mas para participar de um programa específico.

Como se inscrever no CadÚnico?

A inscrição no CadÚnico acontece de forma presencial, em um ponto de atendimento do CRAS (Centro de Referência e Assistência Social). Uma única pessoa, maior de 16 anos, vai representar a família no momento da inscrição.

Qualquer benefício aprovado será em nome desta pessoa. O governo solicita que o representante seja uma mulher, mas caso o chefe da família seja um homem ele também pode se inscrever. Basta:

  • Comparecer até o CRAS mais próximo;
  • Solicitar a inscrição no CadÚnico;
  • Apresentar documento de identificação de todos os membros da família;
  • Responder a um questionário socioeconômico;
  • O NIS será gerado para cada um dos membros da família. 

Documentos para inscrição no CadÚnico 

É importante estar munido dos seguintes documentos para apresentar durante a inscrição:

  • Documento com foto do representante da família;
  • Documento de identificação (certidão de nascimento) de todos os dependentes;
  • Comprovante de residência. 

Programas liberados pelo Cadastro Único

De acordo com o governo federal pelo menos 30 programas são liberados por meio do CadÚnico. Existem alguns que possuem mais popularidade do que outros, e há pessoas que se inscrevem na plataforma para receber principalmente:

  • Bolsa Família;
  • Benefício de Prestação Continuada (BPC);
  • Tarifa Social de Energia Elétrica;
  • Carteira da Pessoa Idosa;
  • Água Para Todos (Cisternas);
  • Minha Casa Minha Vida;
  • Isenção de Taxa em Concursos Públicos e no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio);
  • Poupança do Pé-de-Meia;
  • Auxílio-gás nacional;
  • Auxílio emergencial estadual ou municipal. 

Atualização do CadÚnico 

A atualização do CadÚnico é obrigatória. A cada dois anos o representante da família precisa atualizar os dados da plataforma, mesmo que nada tenha mudado. Eu explico melhor sobre a importância desse procedimento nesta matéria.

Os dados também precisam ser atualizados a qualquer tempo se houverem mudanças no cadastro. Como: troca de endereço, de fonte de renda, de escola das crianças, e etc.

  • Compareça até o CRAS onde foi feita a inscrição, ou na unidade mais próxima;
  • Solicite a atualização dos dados;
  • Leve os documentos que comprovem os dados atualizados;
  • Confirme. 

Sem a atualização os programas que recebe podem ser cancelados. 

 

 

 

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]