FGTS começa a ser pago via Pix a partir de março; entenda

Novidade lançada pelo governo federal vai modernizar o recolhimento do FGTS a partir de março. Com disso, os empregadores terão uma economia de tempo e os trabalhadores passarão a receber via Pix. Entenda melhor essas mudanças.

FGTS começa a ser pago via Pix a partir de março; entenda
FGTS começa a ser pago via Pix a partir de março; entenda (Imagem: FDR)

Na tarde da última terça-feira, 27, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) lançou uma importante novidade sobre o FGTS. A iniciativa beneficia empregados e empregadores que terão menos burocracia no recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Trabalho.

A cerimônia de lançamento aconteceu em Brasília e contou com a participação do Ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho; do Secretário de Inspeção do Trabalho, Luiz Felipe Brandão de Mello.

E das entidades parceiras no projeto: Caixa Econômica Federal; Ministério da Gestão e Inovação (MGI); Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e Serpro.

FGTS Digital

  • O novo sistema traz para o empregador a vantagem de redução do tempo gasto com os procedimentos de recolhimento, estima-se que ele será reduzido em 36h.
  • Também trará uma redução nos custos operacionais incorridos pelo FGTS, de aproximadamente R$144 milhões por ano.
  • A Caixa Econômica continuará como agente responsável pelos fundos.
  • A plataforma vai aproveitar as informações declaradas pelos empregadores através do eSocial.
  • A partir disso os trabalhadores serão identificados pelo CPF e não mais pelo número PIS, assim, a contribuição será gerada de forma individualizada.
  • Isso elimina a necessidade de uma chave para liberação dos recursos para o trabalhador em caso de demissão.
  • Outra vantagem desse sistema é o pagamento do FGTS via Pix.
  • Esse recurso deve impedir o recolhimento de débitos já quitados e a impossibilidade de pagamento de guias vencidas.
  • De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, a redução dos custos deve refletir em mais recursos disponíveis para financiamento de políticas públicas; ou ainda em uma distribuição de lucros mais generosa para os trabalhadores.

Para saber mais sobre o FGTS, clique aqui.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.