ALERTA! Atualização do CadÚnico torna-se OBRIGATÓRIA para 7 milhões de famílias

No início dessa semana o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) fez um alerta muito importante. De acordo com o órgão, pelo menos 7 milhões de famílias devem obrigatoriamente fazer a atualização do CadÚnico. Este é um procedimento simples, mas importante para manter os benefícios sociais.

ALERTA! Atualização do CadÚnico torna-se OBRIGATÓRIA para 7 milhões de pessoas
ALERTA! Atualização do CadÚnico torna-se OBRIGATÓRIA para 7 milhões de famílias (Imagem: FDR)

Logo quando faz sua inscrição no Cadastro Único, o responsável pela família é orientado sobre a obrigação em realizar periodicamente a atualização do CadÚnico. Esta é uma exigência do poder público para conseguir acompanhar mais de perto a situação em que a família está vivendo.

Quem precisa fazer a atualização do CadÚnico?

A atualização do CadÚnico também ajuda na prevenção de fraudes no recebimento de benefícios, e melhora o acesso a algum dos 36 programas federais disponíveis por essa plataforma. Por isso é muito importante cumprir com a obrigação e manter os dados atualizados.

São obrigados a passar novamente pela entrevista socioeconômica aqueles que:

  • Estão com dados desatualizados há mais de 2 anos;
  • Mudaram de endereço;
  • Aumentaram ou diminuíram sua renda;
  • Trocaram a escola das crianças e jovens;
  • Mudança no número de pessoas que moram na mesma casa (nascimento ou morte);
  • Não cumpriram com uma das condicionalidades impostas para se manter nos programas sociais.

Como fazer a atualização do CadÚnico?

Ao acessar o App Meu CadÚnico e fazer login, na primeira página o aplicativo já vai mostrar até quando é necessário fazer uma nova atualização do CadÚnico. Quem deixar esse prazo passar corre o risco de ter seu benefício bloqueado ou até cancelado.

Para cumprir com a obrigação será necessário:

  • Comparecer até o CRAS (Centro de Referência e Assistência Social) na data e horário que foi marcado;
  • Levar documento de identificação de todas as pessoas da família;
  • Responder ao questionário socioeconômico;
  • Comprovar os dados;
  • Finalizar.

As famílias que estão com informações desatualizadas estão sendo notificadas via aplicativo. 

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]