Compras internacionais de até US$ 50 serão taxadas? Governo volta com polêmica e assusta brasileiros

Em análise no Governo Federal, o projeto que prevê a taxação de compras internacionais de até US$ 50 deverá passar por um novo pente fino. Isso porque, recentemente, o Governo Lula já identificou uma queda considerável no volume de compras com esse valor.

Compras internacionais de até US$ 50 serão taxadas? Governo volta com polêmica e assusta brasileiros
Compras internacionais de até US$ 50 serão taxadas? Governo volta com polêmica e assusta brasileiros. (Imagem/Montagem: FDR)

Com a mudança, a possível ampliação da taxação das compras internacionais de até US$ 50 voltou a ficar em cheque. A modificação no volume de compras foi identificada depois da criação do Remessa Conforme. O programa da Receita Federal passou a taxar compras que superaram esse valor.

No entanto, a mudança também impactou as remessas que não são taxadas. Segundo o Governo Federal, os consumidores passaram a preferir itens de fornecedores nacionais.

Entenda como funciona a taxação de compras internacionais:

  • Atualmente, as compras de até US$ 50 seguem isentas;
  • Já as que ultrapassam esse valor precisam pagar um imposto de importação;
  • A cobrança é realizada diretamente pela Receita Federal;
  • No entanto, por meio do Remessa Conforme, as empresas que realizam esse comércio recebem incentivos para seguir atuando no Brasil;
  • Um deles é a prioridade na importação;
  • O benefício tem diminuído de forma considerável o tempo de espera dos compradores pela chegada dos produtos;
  • Até o momento, grandes empresas estrangeiras já aderiram ao programa;
  • Entre elas, gigantes como a Shein, AliExpress e Shopee;
  • Para fazer parte do programa, elas precisam ter o cadastro aprovado pelo Governo Federal;
  • Uma das exigências é o comprometimento com as regras de importação;
  • Com o programa, a atividade dessas empresas no Brasil passou a ser regularizada;
  • Atualmente, a avaliação é que o aumento da taxação poderá impactar ainda mais o setor de compras internacionais;
  • Por isso, a medida ainda é avaliada com cautela.

Confira outros detalhes sobre o projeto que prevê o aumento da taxação das compras internacionais neste link.

Danielle Santana
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já atuou como repórter no Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Nos locais, acumulou experiência nas editorias de economia, cotidiano e redes sociais. Possuí experiência ainda como assessora de imprensa.