INSS anuncia redução nos juros do consignado para aposentados e pensionistas

Recentemente, o Conselho Nacional da Previdência Social (CNPS) aprovou ajustes nas taxas de juros para o empréstimo consignado destinado aos aposentados e pensionistas do INSS. A medida visa alinhar o teto do consignado aos cortes da Selic, a taxa básica de juros. 

INSS anuncia redução nos juros do consignado para aposentados e pensionistas
INSS anuncia redução nos juros do consignado para aposentados e pensionistas. (Imagem/Montagem: FDR)

A redução mensal da taxa de juros para o empréstimo consignado passou de 1,80% para 1,76%, enquanto para cartão de crédito consignado de benefícios, a taxa máxima foi reduzida de 2,67% para 2,61%

Essas alterações entrarão em vigor após oito dias úteis da publicação no Diário Oficial da União (DOU). É importante notar que as instituições bancárias têm a opção de não oferecer o consignado se discordarem da taxa estabelecida. 

O setor bancário expressou descontentamento com as reduções, com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) criticando a tendência de queda de juros, alegando prejuízos aos beneficiários do INSS, especialmente aos aposentados mais idosos e de menor renda.

O empréstimo consignado do INSS é um tipo de crédito controlado pela Previdência Social, com desconto direto no benefício previdenciário. Atualmente, o segurado do INSS pode comprometer até 45% do benefício com o crédito consignado, distribuídos entre empréstimo pessoal, cartão de crédito e cartão de benefício. 

Essa modalidade de empréstimo pode ser quitada em até 84 meses (sete anos), com juros limitados de acordo com as normas vigentes. Confira abaixo todos os detalhes sobre o consignado do INSS

Informações obrigatórias sobre o empréstimo consignado do INSS

  • Taxas de juros mensal e anual;
  • Data do primeiro desconto;
  • CET (Custo Efetivo Total) mensal e anual das operações de consignado;
  • Valor pago a título de dívida do cliente (saldo devedor original) quando a operação for de portabilidade ou refinanciamento;
  • Valor do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) incidente sobre a operação;
  • Informação diária das taxas de juros para as novas operações de empréstimo pessoal, cartão de crédito e cartão de benefício;
  • Número do SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) ou CAC (Central de Atendimento ao Consumidor).

Consulta ao juros do consignado do INSS

Os segurados podem verificar as taxas de juros do empréstimo pessoal cobrado por instituições financeiras diretamente no aplicativo ou site Meu INSS, sem a necessidade de login e senha. 

Essa facilidade permite aos beneficiários comparar as taxas oferecidas por diferentes bancos e escolher a que melhor se ajusta ao seu orçamento. Numa busca rápida no Meu INSS, encontramos 56 instituições que ofertam o empréstsimo do INSS. Veja algumas delas:

  • BANCO DO BRASIL – Média taxa de juros para empréstimo 1,77% ao mês (de 1,21% até 1,84%)
  • BANCO DA AMAZONIA (BASA) – Média taxa de juros para empréstimo 1,76% ao mês (de 1,76% até 1,76%)
  • BANCO ITAU SA – Média taxa de juros para empréstimo 1,8% ao mês (de 0,43% até 1,84%)
  • NU FINANCEIRA – Média taxa de juros para empréstimo 1,55% ao mês (de 1,35% até 1,75%)
  • BANCO SANTANDER – Média taxa de juros para empréstimo 1,77% ao mês (de 0,01% até 1,84%)
  • BANCO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (Banrisul) – Média taxa de juros para empréstimo 1,63% ao mês (de 1,31% até 1,84%)
  • CAIXA ECONOMICA FEDERAL – Média taxa de juros para empréstimo 1,72% ao mês (de 1,42% até 1,74%)
  • BANCO AGIBANK – Média taxa de juros para empréstimo 1,54% ao mês (de 0,1% até 1,84%)
  • BANCO BRADESCO – Média taxa de juros para empréstimo 1,75% ao mês (de 1,06% até 1,84%)

As taxas variam conforme o relacionamento do cliente com o banco, mas não podem ultrapassar o teto.

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.