Salário mínimo 2024 injetará bilhões na economia; saiba quanto irá receber

Em estudo recente, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), apurou o impacto que o reajuste do salário mínimo 2024 terá na economia brasileira. Estima-se um incremento de R$ 69,9 bilhões na renda anual. 

Salário mínimo 2024 injetará bilhões na economia; saiba quanto irá receber
Salário mínimo 2024 injetará bilhões na economia; saiba quanto irá receber. (Imagem: FDR)

O montante foi estimado com base na perspectiva de que 59,3 milhões de brasileiros têm os rendimentos baseados no salário mínimo 2024. O Dieese também prevê um aumento na margem de R$ 37,7 bilhões na arrecadação tributária anual sobre o consumo, de acordo com dados apresentados pela Agência Brasil. 

Desde a última segunda-feira, 1º de janeiro, o salário mínimo 2024 oficial do Brasil é de R$ 1.412. Para promover este reajuste, foi considerada a inflação apurada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para o período de maio, mês em que houve o último ajuste no piso nacional.

O ganho real no salário mínimo 2024 foi de 5,77%. Desta forma, o aumento nominal de R$ 1.320 para R$ 1.412 foi de 6,97%. Enquanto isso, o INPC está previsto em 1,14% de maio a dezembro. 

Na circunstância de a referência ocorrer com base no mês de janeiro de 2023, época em que o piso nacional era de R$ 1.302, o ganho real seria de 4,69%. Isso porque, na época, o reajuste foi de 1,38%, abaixo da inflação identificada entre janeiro a maio

Já a variação do INPC foi de 2,42% no quadrimestre de janeiro a abril. Portanto, identifica-se uma perda real de 1,01% no reajuste executado em maio

Política de valorização do salário mínimo 2024

A partir do dia 1º de janeiro de 2024, entra em vigor a política de valorização do salário mínimo, impulsionada através do texto aprovado no Congresso Nacional e sancionado pelo presidente Lula nesta semana.

Seguindo a nova regra, a valorização será resultado da soma entre o índice de inflação do ano precedente e o índice correspondente ao crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores.

O índice de inflação considerado será o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), acumulado nos últimos 12 meses até novembro do ano anterior ao reajuste. Em anos em que o PIB não apresentar crescimento, o reajuste será orientado apenas pela inflação.

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.