Fim de ano: dicas para economizar na ceia e nos presentes

Pontos-chave
  • Cesta de Natal está mais cara em 2023
  • Ir as compras mais cedo pode te fazer economizar
  • 13º é saída para economia

Pesquisa mostra aumento que chega a 10% em alguns itens da ceia de Natal. Produtos devem pesar no bolso dos brasileiros. Mas, com as nossas dicas você pode economizar neste fim de ano e entrar 2024 sem novas dívidas.

Fim de ano: dicas para economizar na ceia e nos presentes
Fim de ano: dicas para economizar na ceia e nos presentes (Imagem: FDR)

Faltam poucos dias para o Natal 2023 e as famílias correm para se preparar para a ceia e a troca de presentes. A má notícia é que alguns itens estão mais caros nesse fim de ano. A boa notícia é que, seguindo algumas dicas, é possível driblar esse aumento.

Aumento do valor da ceia de Natal

Alguns alimentos são tradição na mesa dos brasileiros, como o peru, as frutas entre outros. Confira abaixo alguns dos itens que mais aumentaram de preço em comparação ao ano de 2022:

  • Azeite – aumento de 35,7%
  • Bacalhau – aumento de 15,65%
  • Peru – 15,82%
  • Morango – 27,36% e
  • pêssego – 13,23%

Com os itens mais caros a cesta natalina também acabou subindo de preço, sendo comercializada atualmente em R$ 413,53.

Como economizar na ceia de Natal?

Planejamento

É interessante fazer uma lista com todos os itens que você vai precisar comprar. Existem duas questões aqui: algumas empresas oferecem descontos e você não corre o risco de esquecer algum item.

Outro fator importante relacionado ao planejamento é quanto ao orçamento disponível, é interessante estipular um limite para as compras.

Compre com antecedência

É comum que os preços aumentem conforme a data se aproxime, isso acontece, principalmente, por causa da alta procura e o esgotamento dos produtos. Além do fato de que grande parte dos consumidores deixam as comprar para última hora.

Inclusive, esse é um dos grandes motivos para você se programar e ir às compras antes, existe o risco de não encontrar os itens que deseja.

Fim de ano: dicas para economizar na ceia e nos presentes (Imagem: FDR)
Fim de ano: dicas para economizar na ceia e nos presentes (Imagem: FDR)

Escolha produtos nacionais

Os itens importados acabam ganhando destaque nas mesas no fim de ano, mas o Brasil tem grandes produtores também que podem ser escolhidos. Em termos de vinho, por exemplo, o país tem produtores nacionais que podem comercializam bebidas de qualidade e mais baratas do que os importados.

A maior parte dos itens da ceia de Natal são importados e, com o dólar alto, é normal que eles fiquem mais caros.

Pesquise

Tem uma lista elaborada? Um orçamento? Disponibilidade para ir às compras? É chegada a hora da “maratona”.

Pesquise o valor dos itens antes de finalizar a sua compra, afinal, a variação de valor pode ser grande entre uma loja e outra. Outra estratégia é comprar em quantidade, inclusive, em algumas situações é possível negociar descontos direto com o vendedor.

Nesse momento vale a pena aproveitar as ofertas e comprar uma quantidade maior de determinado item, caso, seu orçamento dê.

Mas, cuidado! Ao comprar os itens em promoção é importante conferir o prazo de validade. É comum que empresas deem descontos em itens que vencerão em breve; se esse for o caso, você precisa se programar para usá-los logo.

Substitua os itens mais caros

O bacalhau está com um valor acima do que você pode pagar? Encontre um outro peixe que pode ser usado no lugar dele na sua preparação.

De acordo com alguns culinaristas, a merluza, linguado e tilápia são opções que podem ser substitutas do bacalhau.

Presentes à vista

Sobre a tradicional troca de presentes, é importante evitar novas dívidas. No final do ano muitos trabalhadores recebem valores extra, como o 13º salário, que poderão ser usados para a compra dos itens.

Na hora de presentar uma boa alternativa é dar um cartão presente. Com eles você pode destinar um valor que uma pessoa poderá gastar dentro de determinada loja. Caso ela escolha um item de valor superior, poderá complementar para comprar o item.

Caso seja inevitável a compra no cartão de crédito, o ideal é evitar que ela seja dividida em muitas vezes. Afinal, quanto mais parcelas você pagar, mais juros serão cobrados.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.