URGENTE! Justiça autoriza bancos a tomarem casa de brasileiros com dívidas

O Supremo Tribunal Federal (STF) tomou uma decisão impactante: agora, as instituições financeiras têm o poder de retomar imóveis financiados, mesmo em situações de inadimplência, sem a necessidade de recorrer a uma ação judicial.

Quite os débitos e saia do endividamento com ESTAS dicas
URGENTE! Justiça autoriza bancos a tomarem casa de brasileiros com dívidas (Imagem: FDR)

A origem dessa mudança foi um recurso em uma disputa legal entre um devedor e um banco. No caso, um devedor contestava a decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3).

No centro do julgamento está a Caixa Econômica Federal, que concedeu um empréstimo a um cliente para aquisição de um imóvel. O acordo estipulava o pagamento em 239 parcelas.

Apesar disso, após 11 prestações, o cliente deixou de cumprir sua parte, levando o banco a agir.

Casas financiadas pertencem aos bancos

O que fazer se não conseguir pagar o financiamento?

  • Para evitar a retomada do imóvel, o devedor pode optar pela renegociação direta com a instituição financeira.
  • Esse processo deve ser conduzido junto ao banco que originou o contrato, onde o comprador pode informar as dificuldades financeiras e solicitar ajustes no contrato.
  • Caso o banco aceite, é possível renegociar parcelas, valores e taxas de juros.

O banco não quer renegociar o contrato, e agora?

Se a instituição financeira não aceitar renegociar diretamente o contrato de financiamento e as parcelas em atraso, é fundamental considerar algumas alternativas:

  • Recorrer a serviços de mediação ou arbitragem para resolver esse conflito fora do sistema judicial convencional.
  • Consultar um advogado especializado em questões imobiliárias pode oferecer estratégias legais para favorecer o devedor.
  • Avaliar a possibilidade de obter uma linha de crédito em outra instituição financeira para quitar a dívida com o banco atual pode ser uma solução temporária.
  • Entrar em contato com órgãos de defesa do consumidor pode pressionar o banco a reconsiderar a negociação, buscando uma solução mais favorável ao devedor.

Ariel França
Jornalista especializado em Direito Administrativo, Gestão Pública e Administração Geral. Possui mais de uma década de experiência em produção de conteúdo para a internet.