Como economizar energia? Confira as principais dicas

Pontos-chave
  • Onda de calor fez consumo de energia aumentar
  • Altas temperaturas devem durar alguns meses
  • Trocar lâmpadas e manter os apralehos limpos pode ajudar na redução do consumo

Onda de calor no Brasil tem feito os consumidores buscarem formas de economizar energia. Segundo o Inmet, o calor intenso deve durar até fevereiro de 2024. Veja dicas para reduzir seu gasto.

Como economizar energia? Confira as principais dicas
Como economizar energia? Confira as principais dicas (Imagem: FDR)

Mais de 2,7 mil cidades brasileiras receberam o alerta sobre o aumento da temperatura. O resultado dessa onda de calor são os brasileiros buscando formas de economizar energia. Afinal, o consumo aumentou por causa do uso do ar condicionado e do ventilador, aliado as regulagens para resfriamento feitas em geladeiras e freezers.

O aumento foi tão grande que o país bateu o recorde de mais de 100 mil megawatts consumidos por minuto, de acordo com o Operador Nacional do Sistema (ONS).

Dicas para economizar energia durante o calor

Ar condicionado

MUDAR TITULARIDADE DA CONTA DE LUZ: VEJA COMO TROCAR O RESPONSÁVEL PELA CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA

Chuveiro elétrico

Como economizar energia? Confira as principais dicas (Imagem: FDR)
Como economizar energia? Confira as principais dicas (Imagem: FDR)

Geladeiras, freezers, adegas e cervejeiras

Até quando vai a onda de calor do Brasil?

O calorzão é resultado do El Niño, que está geralmente associado ao aumento das temperaturas em todo o mundo.

De acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA) esse fenômeno tem 62% de chance de persistir até junho de 2024.

Ou seja, é possível que o Brasil tenha altas temperaturas também durante o outono. Segundo o Inmet, o calor intenso deve durar até fevereiro de 2024. Veja dicas para reduzir seu gasto.

Vale lembrar que o verão começa ainda no dia 22 de dezembro desse ano.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.
Sair da versão mobile