13º salário pode garantir RENDIMENTOS aos trabalhadores; saiba como

Em poucos dias os trabalhadores terão acesso ao pagamento do 13º salário. Divido em duas parcelas os cidadão ganham a oportunidade de usufruir do dinheiro em momentos diferentes. Mas, para quem faz o planejamento anterior é possível conseguir aumentar o rendimento do valor depositado.

13º salário pode garantir RENDIMENTOS aos trabalhadores; saiba como
13º salário pode garantir RENDIMENTOS aos trabalhadores; saiba como (Imagem: FDR)

A liberação do 13º salário não é boa só para o trabalhador, mas para a economia também. No ano passado, uma pesquisa do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) mostrou que o benefício injetou mais de R$ 250 bilhões na economia brasileira.

Em novembro os trabalhadores receberão a primeira parte do décimo terceiro salário, mas o pagamento final será liberado até o dia 20 de dezembro. Por isso é importante estar atento as “tentações” de final de ano, como Black Friday e Natal que podem ser a causa da má gestão do seu dinheiro.

Quanto será pago de 13º salário?

O valor do 13º salário depende da remuneração bruta do trabalhador. Quer dizer, do quanto ele ganha todo mês. O cálculo é feito proporcional aos meses trabalhados no último ano.

A primeira parcela deve ser paga até 30 de novembro, e a segunda até 20 de dezembro.

Dicas para usar o 13º salário

O educador financeiro do Sicoob, Renato Costa, orientou em entrevista concedida ao IG que os trabalhadores não caiam nas tentações do final do ano. Priorizem aumentar a sua renda, ou acabar com as suas dívidas ao invés de gastar com presentes e festas.

Para isso o uso do 13º salário pode ser essencial. Costa listou cinco dicas para uso inteligente do abono que será liberado:

  • Organize suas finanças e pague todas as dívidas atrasadas, aproveitando os descontos à vista;
  • Separe uma parte para gastos previstos do início do ano, como IPVA, IPTU, material escolar, matrícula escolar;
  • Destine outra parte para gastos imprevistos, ou seja, para a reserva de emergência. Como casos de adoecimento, batida de carro e outros;
  • Invista o restante, seja em produtos financeiros do seu banco ou na abertura de um novo negócio.

 

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]