Combustível fica mais caro e tem data marcada para SUBIR; confira

Um anúncio realizado nesta semana surpreendeu motoristas de todo o país. A partir de fevereiro de 2024, o preço do combustível deverá sofrer um novo reajuste. O aumento, que já está programado, será referente a cobrança do ICMS sobre o combustível. 

Combustível fica mais caro e tem data marcada para SUBIR; confira
Combustível fica mais caro e tem data marcada para SUBIR; confira. (Imagem: FDR)

O imposto é cobrado nas vendas de gasolina e diesel. O reajuste será realizado por litro do combustível. Para a gasolina, o preço sairá de R$ 1,22 para R$ 1,37. Enquanto no caso do diesel, o valor cobrado subirá de R$ 0,94 para R$ 1,06.

Além disso, o gás de cozinha também passará por um reajuste no próximo ano. O imposto cobrado pelo item sairá do valor de R$ 1,25 para R$ 1,41 por quilo. As mudanças entram em vigor durante o dia 1º de fevereiro.

Saiba o que muda nas cobranças dos combustíveis

  • Os reajustes de preço são possíveis graças a mudança da carga tributária dos combustíveis;
  • A medida afeta o diesel, gasolina e gás de cozinha;
  • A cobrança do ICMS acontece de acordo com a legislação de cada estado;
  • Cada ente federativo tem a liberdade para definir a alíquota;
  • A taxa cobrada pode, inclusive, ser reduzida;
  • A lei também desobriga a existência de estimativas de evolução;
  • As médias costumavam ser utilizadas como forma de limitar o avanço da cobrança;
  • O ICMS corresponde a um imposto por circulação de mercadorias;
  • As taxas são cobradas diretamente do consumidor no momento da compra;
  • No entanto, além do reajuste do ICMS, os motoristas também poderão ter que enfrentar outros aumentos realizados pela Petrobras;
  • A estatal é responsável por definir o preço de comercialização praticado para as distribuidoras;
  • Em seguida, empresas decidem qual valor será cobrado no posto;
  • O reajuste do ICMS incide sobre este valor final.

Confira mais detalhes sobre o reajuste dos preços neste link.

Danielle Santana
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já atuou como repórter no Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Nos locais, acumulou experiência nas editorias de economia, cotidiano e redes sociais. Possuí experiência ainda como assessora de imprensa.