Desenrola Brasil lança plataforma para auxiliar brasileiros a quitar dívidas

Governo Federal iniciou a terceira etapa do Desenrola Brasil. Toda a renegociação das dívidas serão feitas através de uma plataforma virtual. Além disso, a população também conta com outra plataforma que vai ajudar na organização da vida financeira.

Desenrola Brasil lança plataforma para auxiliar brasileiros a quitar dívidas
Desenrola Brasil lança plataforma para auxiliar brasileiros a quitar dívidas (Imagem: FDR)

A terceira fase de renegociação de dívidas do Desenrola Brasil finalmente começou. Brasileiros poderão fazer todo o processo pela plataforma criada pela B3, bolsa da valores do país. O sistema possibilita até que sejam feitas proposta aos credores.

Para ajudar os brasileiros a se organizarem melhor e evitar o endividamento, a Febrabam lançou uma importante plataforma.

Organização da vida financeira

A plataforma foi lançada pela Federação Brasileira de Bancos em 2022. De lá para cá ela já ajudou a centenas de brasileiros a se organizarem melhor financeiramente. No sistema é possível encontrar conteúdos sobre:

  • Sair Das Dívidas
  • Organizar As Finanças
  • Poupar E Investir
  • Empreender
  • Aposentados E Pensionistas
  • Ferramentas
  • Imposto De Renda
  • E-Books

No sistema você pode encontrar até mesmo conteúdo sobre o Desenrola Brasil, para acessar a plataforma clique no link.

Plataforma Desenrola Brasil

Na última segunda-feira, 09, o Governo Federal lançou a plataforma do Desenrola Brasil. Ao todo, 32 milhões de brasileiros terão acesso a R$ 126 bilhões em descontos.

A 3ª etapa do Desenrola é voltada para:

Caso o devedor escolha parcelar o valor da dívida, será cobrada uma taxa de juros de 1,99% ao mês.

As renegociações através da plataforma do Desenrola podem ser feitas até 31 de dezembro de 2023; as demais faixas também podem continuar utilizando o sistema.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.