Desenrola Brasil passa a fazer exigências ESPECÍFICAS para negociar dívidas

Programa Desenrola Brasil passa a renegociar dívidas de centenas de brasileiros a partir da próxima semana. Para ter acesso à plataforma de é necessário atender as novas exigências. Veja quais são elas!

Desenrola Brasil passa a fazer exigências ESPECÍFICAS para negociar dívidas
Desenrola Brasil passa a fazer exigências ESPECÍFICAS para negociar dívidas (Imagem FDR)

A partir da próxima semana a plataforma de renegociação do Desenrola Brasil estará disponível para os brasileiros. Terceira fase do programa terá descontos de até 83% sobre o valor da dívida.

Essa é a terceira e última fase do programa de renegociação de dívidas criado pelo Governo Federal.

Quem pode participar da 3ª fase do Desenrola Brasil?

A plataforma vai estar disponível a partir da próxima segunda-feira, 9, para o seguinte grupo:

Além de estar em um dos grupos acima, os interessados também devem ter dívidas de até R$ 5 mil apenas.

As dívidas renegociadas através do sistema poderão ser pagas à vista ou em até 60 meses com juros de 1,99% ao mês.

RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS: BANCOS QUE ESTÃO PARTICIPANDO DO DESENROLA BRASIL

Como ter acesso ao Desenrola Brasil?

Para usar a plataforma e renegociar as dívidas é necessário ter conta gov.br com nível prata ou ouro. Veja abaixo como criar esse cadastro:

  1. Acesse o portal da conta gov.br;
  2. Selecione “Entrar com gov.br”
  3. Digite seu CPF e clique em “Continuar” para criar ou alterar sua conta;
  4. Preencha o formulário com seus dados, que serão validados pelo INSS ou Receita Federal;
  5. Pronto, conta criada.

A conta é aberta com nível bronze, para ter acesso aos serviços é necessário subir de nível para prata ou ouro.

Como subir a conta gov.be para nível prata ou ouro?

Aumentar o nível para Prata é possível de uma das seguintes formas:

Já para aumentar o nível para ouro é necessário:

Para conhecer outras formas de se livrar das dívidas, acesse o link.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.
Sair da versão mobile