Entregadores de aplicativo anunciam a SUSPENSÃO de suas atividades

Um grupo de trabalho criado pelo governo federal iniciou neste ano discussões para regulamentar a prestação de serviços de entregadores de aplicativo. Neste mês, em uma reunião que aconteceu em Brasília, os profissionais saíram desaprovando a decisão e por isso anunciaram uma greve nacional. 

GREVE NACIONAL! Entregadores de aplicativo anunciam a SUSPENSÃO de suas atividades
Entregadores de aplicativo anunciam a SUSPENSÃO de suas atividades (Imagem: Montagem/FDR)

O uso de aplicativos para pedir comida, viagem ou entregas rápidas já se tornou um hábito para os brasileiros, principalmente aqueles que vivem nos grandes centros. No entanto, esse tipo de serviço pode estar ameaçado para os próximos dias depois que os entregadores de aplicativo anunciaram uma greve.

Por que os entregadores de aplicativo querem greve?

  • Motoristas e entregadores de aplicativo buscam por melhorias no seu serviço, e isso incluí maior comprometimento das plataformas para com os profissionais. Entendendo que este tipo de trabalho tem aumentado no país o governo federal criou um grupo para discutir sobre o assunto.
  • Profissionais da área não saíram satisfeitos da última reunião com o grupo de trabalho, na ocasião estavam as associações representantes das empresas como Uber, 99, iFood, Lalamove, Amazon e outros. Mas, o debate que deveria chegar a uma solução, na verdade trouxe mais problemas.
  • Entregadores querem um valor maior de pagamento por hora logado no App, eles justificam que as plataformas têm diminuído o valor pago desde que este tipo de serviço começou a se popularizar. As empresas, por sua vez, querem pagar um valor menor que o exigido e por hora trabalhada.
  • Os entregadores receberiam por serviço, e não pelo período que ficam aguardando uma nova chamada. A justificativa das empresas é de que enquanto estão online em um aplicativo, eles também podem estar online e outros, ou seja, não ter registrado uma entrega na plataforma não significa que eles estão parados.
  • Empresas querem pagar R$ 12 por hora, e entregadores de aplicativo pedem R$ 35. Este foi o principal ponto de discussão da última reunião, e que descontentou os profissionais que não aceitam o valor proposto pelas plataformas.

Greve nacional dos entregadores

  • Está marcada para sexta-feira (29) a greve nacional dos entregadores de aplicativo, a ideia, segundo Luiz Carlos presidente do sindicato dos motoboys no Distrito Federal, é fazer com que os aplicativos entendam a grandeza dos colaboradores.
  • Sindicatos de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal confirmaram a paralisação no dia 29. E embora não haja um consenso nacional, o não funcionamento nestas cidades que são grandes metrópoles terá impacto direto nas plataformas. 

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]