Itens essenciais da cesta básica estão em declínio nos preços em alguns estados

Em mais uma das suas pesquisas, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) trouxe boas notícias para os consumidores. Isso porque, ao levantar os valores de produtos que compõem a cesta básica o instituto observou que houve uma queda considerável desde o início do ano.

Itens essenciais da cesta básica estão em declínio nos preços em alguns estados
Itens essenciais da cesta básica estão em declínio nos preços em alguns estados (Imagem: FDR)

Foi por meio do resultado do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) que o IBGE informou sobre a diminuição de preços de itens importantes que compõem a cesta básica. Não há uma lista exata com mercadorias e produtos que fazem parte desta cesta, cada instituto de pesquisa usa uma referência.

A ideia é considerar produtos que são usados com frequência na casa das famílias brasileiras. Por exemplo: leite, óleo, pão, arroz, feijão, manteiga, carne, alho, cebola, sabonete, entre tantos outros. Cabe ao instituto determinar quais são os alimentos e itens de higiene que farão parte da pesquisa.

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), por exemplo, não usa como referência o IPCA para divulgar o valor dos alimentos. Mas, mensalmente publica um novo levantamento com o preço médio da cesta básica em cada estado brasileiro.

Em agosto o Dieese confirmou que houve redução no valor das mercadorias em 16 das 17 capitais brasileiras que foram pesquisadas. Apenas no Distrito Federal os preços continuaram subindo no último mês, com alta de 0,35%, chegando a R$ 689,98.

IBGE confirma queda dos alimentos da cesta básica

De acordo com apuração do IBGE baseado no IPCA, os moradores da cidade de São Paulo foram beneficiados com quedas significativas no preço dos alimentos da cesta básica. Produtos como cebola, óleo de soja, batata-inglesa, alcatra, feijão-carioca e contrafilé estão caindo desde o início deste ano. 

Especificamente para a capital paulista a principal redução foi no preço cobrado pela cebola, com diminuição de 30,4%. A queda menos significativa foi da paleta que ficou 11,9% mais barata.

Na análise nacional, foi possível observar que o grupo de alimentos e bebidas conseguiu registrar queda de 0,85%. Com destaque para a redução nos preços da alimentação no domicílio, em que caiu -1,26%.

Os destaque são para:

  • batata-inglesa -12,92%;
  • feijão-carioca -8,27%;
  • tomate -7,91%;
  • leite longa vida -3,35%;
  • frango em pedaços -2,57%;
  • carnes -1,90%.

 

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]