LIBERADO! Banco Central explica o passo a passo para resgatar dinheiro esquecido

O Banco Central (BC) criou no último ano a ferramenta Sistema Valores a Receber (SVR), e neste ano relançou o recurso com melhorias. Acontece que embora milhões de pessoas tenham dinheiro esquecido, elas estão deixando a quantia no banco. A orientação é de que o resgate seja feito o quanto antes.

LIBERADO! Banco Central explica o passo a passo para resgatar dinheiro esquecido
LIBERADO! Banco Central explica o passo a passo para resgatar dinheiro esquecido (Imagem: FDR)

Embora o Banco Central não tenha dado um prazo máximo sobre até quando o dinheiro esquecido pode ser resgatado, a recomendação é de que os consumidores pelo menos consultem se têm direito. Em março deste ano o SVR foi lançado dentro do site do BC e permite que a verificação ocorra de maneira online. 

Os dados mais recentes divulgados pelo Banco são de junho deste ano, em que ainda haviam R$ 7,3 bilhões para serem resgatados dos bancos. O valor é destinado a 37,5 milhões de pessoas físicas com direito de receber R$ 5,85 bilhões. E 2,9 milhões de pessoas jurídicas que podem sacar R$ 1,44 bilhão.

O dinheiro esquecido é relativo a valores que foram deixados em contas corrente ou poupança desativadas, resgate em seguros ou consórcios, além do ressarcimento de taxas e outras tarifas. Os valores foram divididos pelo Banco Central em faixas, ao todo são quatro faixas.

Além das pessoas físicas e jurídicas a quantia que foi deixada por quem já faleceu também pode ser recebido por herdeiros e dependentes. Neste caso a consulta ao dinheiro vai indicar apenas as faixas de valores e não a quantia exata, porque todo o restante do procedimento deve ser resolvido com o banco.

Como resgatar dinheiro esquecido no Banco Central

Para evitar que caiam em golpes, a recomendação do Banco Central é de que os consumidores nunca cliquem em links que forem enviados via WhatsApp. Não forneçam dados via ligação ou mensagem, e somente acessem o sistema que foi criado pelo banco.

Também é preciso ter conta criada no Gov.br, com selo de verificação de nível ouro ou prata. Na consulta para pessoas falecidas os dados devem ser do falecido, mas o login é na conta dos herdeiros, dependentes ou testamentários.

Para consultar o quanto há disponível e pedir pelo estorno do dinheiro basta:

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com
Sair da versão mobile