Novo pente-fino do INSS é confirmado gerando pânico entre os aposentados

Um novo pente-fino do INSS está sendo preparado pelo Governo Federal com o propósito de identificar fraudes, erros e irregularidades em benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social.

Novo pente-fino do INSS é confirmado gerando pânico entre os aposentados
Novo pente-fino do INSS é confirmado gerando pânico entre os aposentados. (Imagem: FDR)

A ministra do Planejamento, Simone Tebet, fez o anúncio sobre o pente-fino do INSS informando que o destaque será voltado para aposentadorias por invalidez, auxílio-doença e BPC. 

A convocação para perícia revisional é uma possibilidade para o segurado afetado pelo pente-fino do INSS. Desta forma, será essencial manter a documentação médica em dia para evitar a suspensão do benefício.

A perícia médica revisará a incapacidade do segurado para o trabalho e a existência de deficiência. Para se preparar, os beneficiários convocados devem levar todos os laudos médicos originais, exames de imagem, registros de tratamento e receitas médicas. 

A presença da Classificação Internacional da Doença (CID) é crucial no laudo, juntamente com informações sobre o início da incapacidade e previsão de recuperação. A relação da inaptidão ao trabalho também é vital. 

Portanto, durante o pente-fino do INSS, a carteira de trabalho, especialmente para beneficiários de auxílio-doença, deve ser apresentada para destacar a função desempenhada. 

É importante ressaltar que a doença deve incapacitar para o trabalho, e exemplos das limitações que ela impõe são cruciais. Casos isentos, como aposentados por invalidez com 60 anos ou mais, são considerados.

O pente-fino do INSS traz implicações significativas para os beneficiários do instituto. O cuidado na preparação documental e a compreensão da relação entre a doença e a incapacidade para o trabalho são fundamentais para passar por esse processo com sucesso e manter os benefícios intactos.

Pente-fino do INSS conta com hora extra dos servidores

O INSS está lançando uma estratégia paralela ao processo de investigação de benefícios irregulares, com o objetivo de agilizar a concessão dos benefícios que são legalmente devidos aos cidadãos brasileiros. 

A fila de espera atualmente envolve quase dois milhões de pessoas, e para enfrentar esse desafio, uma das medidas adotadas é a implementação de horas extras para os servidores nos próximos nove meses.

Essa iniciativa de remuneração adicional temporária será baseada na adesão voluntária dos servidores. Aqueles que optarem por participar terão metas estabelecidas para a análise virtual de um certo número de processos. 

A partir disso, o governo definirá um valor mínimo de remuneração, correspondente à quantidade de processos analisados, sendo que os servidores que escolherem participar receberão essa remuneração extra durante o período de nove meses.

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.