POUPANÇA com os dias CONTADOS? Caixa estuda ALTERAÇÕES no investimento

A poupança é o investimento mais popular entre os brasileiros. A orientação de guardar dinheiro nela passava de pai pra filho. No entanto, a modalidade foi perdendo atratividade diante de outras opções mais vantajosas. Pensando nisso, a Caixa quer encontrar maneiras de recuperar a atratividade da poupança. Veja os detalhes.

POUPANÇA com os dias CONTADOS? Caixa estuda ALTERAÇÕES no investimento
POUPANÇA com os dias CONTADOS? Caixa estuda ALTERAÇÕES no investimento(Imagem FDR)

A Caixa Econômica está em busca de maneiras para recuperar a atratividade da poupança, que precisa disputar espaço com outra modalidades de investimentos. 

Caixa quer recuperar atratividade da Poupança 

A caderneta, segundo a presidente da Caixa, Maria Rita Serrano, perdeu atratividade devido ao juro alto.

“Hoje o produto poupança não é atrativo por causa do juro alto, mas não sei se voltará a ser interessante mesmo que o juro cair”, afirmou ela em evento do Santander, de acordo com o portal Inteligência Financeira.

Serrano não entrou em detalhes sobre as alterações que podem acontecer e afirmou que é necessário encontrar formas de aumentar a rentabilidade atual da caderneta.

De acordo com um levantamento realizado pelo Banco Santander, considerando o primeiro semestre do ano, a poupança perdeu terreno, saindo de 20,94% do total do portfólio em junho do ano passado para 19,72% em junho deste ano.

 “Mesmo se baixar o juros, ele vai voltar a ter atratividade ou não? Não vai, por que é um produto preferido por uma população mais velha”, disse ela durante o evento do banco, segundo a Veja

Investimentos em crescimento 

Os investimentos dos brasileiros aumentaram 7,3% no primeiro semestre deste ano. Com isso, o montante total investido foi de R$5,37 trilhões, de acordo com estudo da Associação Brasileira de Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais (Anbima).

O destaque nos seis primeiros meses do ano foram os títulos e valores imobiliários, em especial os produtos isentos de cobrança de Imposto de Renda. Eles cresceram 22% neste primeiro semestre, com total de R$976,7 bilhões investidos. Já no varejo, foi detectada alta de 18,4%, enquanto no private, crescimento de 9,6%.

Os CDBs também foram destaque no universo da renda fixa. Eles aumentaram 11,8%, subindo  de R$712,1 bilhões em dezembro do ano passado para R$ 796,5 bilhões em junho. A renda variável, por sua vez, teve crescimento de 8,7% no mesmo período, com ações totalizando R$668,1 bilhões.

Os investimentos em previdência conquistaram o patamar de R$ 195,9 bilhões, uma alta de 7,1%. Por outro lado, a poupança, que responde por 17% do total investido, perdeu 3,4% dos recursos e terminou o semestre com R$ 916,4 bilhões.

 

Brasileiros ainda tem direito a dinheiro da época do Confisco da Poupança

O Confisco da Poupança foi um dos episódios mais marcantes e traumáticos da política nacional.

Ele aconteceu nos anos 90 mas ainda hoje existem brasileiros que tem dinheiro a receber referente ao Confisco que aconteceu no governo do ex-presidente Fernando Collor.

De acordo com a Febrapo (Frente Brasileira pelos Poupadores), associação que reúne poupadores, advogados e institutos de defesa do consumidor, atualmente existem por volta de 140 mil pessoas nessa situação.

Como se trata de um caso em que os processos judiciais estão tramitando há mais de 30 anos, muitos autores acabaram morrendo ao longo do tempo. Porém, os direitos passam para herdeiros e inventariantes, que podem ser cônjuges, filhos, pais e parentes colaterais de até 4º grau.

Para conferir se tem dinheiro a receber é preciso acessar o site do Tribunal de Justiça do seu Estado, na seção de “consulta de processos”. Ao entrar na página, informe o nome e número do CPF do autor do processo. De acordo com a Febrapo, quase sempre essa consulta é gratuita.

Se este procedimento não der certo, a Febraco diz que existe possibilidade de ir presencialmente no Fórum da cidade e procurar informação no setor de distribuição e consulta de processos.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.