Semana com 4 dias de trabalho chega ao Brasil; veja quais os países que já testaram essa mudança

Diversos países testaram a semana com 4 dias de trabalho onde o colaborador é incentivado a manter a performance atingida com a atual carga horária. Modelo preocupa-se não apenas com o desempenho do colaborador, mas também com os aspectos psicológicos relacionados ao trabalho.

Semana com 4 dias de trabalho chega ao Brasil; veja quais os países que já testaram essa mudança
Semana com 4 dias de trabalho chega ao Brasil; veja quais os países que já testaram essa mudança (Imagem: Montagem/FDR)

A organização sem fins lucrativos 4 Day Week vai testar no Brasil a implantação da semana com 4 dias de trabalho. Modelo prevê que os colaboradores tenham redução na jornada de trabalho com manutenção do salário atual e da performance. Esse modelo já foi testado em outros países e deve iniciar aqui em agosto desse ano.

Países que já testaram a semana com 4 dias de trabalho

Veja abaixo quais foram os países que já fizeram testes com esse modelo de carga horária:

Islândia

O país foi o responsável pelo primeiro grande teste, entre 2015 e 2019.

Cerca de 2,5 mil trabalhadores tiveram a carga horária reduzida de 40h para 35 ou 36 horas semanais.

A consequência desse experimento foi a negociação feitas pelos sindicatos de jornadas de trabalho menores.

Suécia

Também em 2015 a redução foi para 6h diárias de trabalho por 4 dias semanais, os resultados foram tanto positivos quanto negativos.

Algumas empresas, como a Toyota, decidiram continuar com esse modelo após o fim do experimento.

Emirados Árabes

Nos Emirados Árabes Unidos esse modelo foi efetivamente implementado em 2022, assim, os funcionários públicos passaram a ter uma carga horária de 36h divididas em 4 dias de trabalho semanais.

Reino Unido

No Reino Unido 60 empresas tiveram redução da jornada de trabalho para 32h semanais em 5 dias de trabalho.

O resultado foi que mais de 90% das empresas permaneceram com esse modelo, inclusive, a redução na jornada de trabalho resultou em um aumento de 35% na receita média das empresas.

Bélgica

Um modelo um tanto diferenciado foi adotado pelo país, nele o trabalhador decide se quer ou não aderir a essa redução e pode também escolher trabalhar por 45 horas em uma semana e reduzir o seu tempo de trabalho na semana seguinte.

Espanha

A Espanha é outro país onde a implementação acontecerá de forma diferenciada.

O governo do país oferece até 200 mil euros por candidatos e pelos custos de consultoria para as empresas que decidirem aderir a esse modelo que será testado por 2 anos.

Empresas pequenas e médias do setor da indústria poderão ser beneficiadas.

Para saber mais sobre vagas de emprego, vestibulares e cursos, acompanhe a editoria de Carreiras do FDR.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.