Atenção: Compras na Shein, Shopee e AliExpress podem sofrer com este aspecto

Um dos assuntos mais comentados atualmente é sobre a taxação de compras efetuadas em plataformas de vendas como  Shein, Shopee e AliExpress. Nesta semana, o governo afirmou que irá acabar com a isenção de impostos sobre importações de produtos internacionais de até US$50. Esta decisão deve atingir justamente as três lojas citadas anteriormente. Entenda como isso pode afetar os consumidores.

Tributação de produtos importados 

A partir desta mudança ordenada pelo governo, as empresas terão que pagar a tributação de 60% sobre o valor da compra, independente do preço do produto. Esta alteração já preocupa quem costuma fazer compras nessas plataformas.

Como esta taxação impacta o consumidor 

O advogado do escritório Ale Advogados e mestre em administração pública pela Columbia University, Thiago Camargo, conversou com a JP News e explicou que a partir da decisão do governo, os produtos vendidos nestas lojas podem encarecer até 80%.

Isto acontece pois os consumidores terão que pagar os impostos para poder receber o seu produto em casa. 

“Nada muda nas compras de produtos acima de US$ 50. Já para os produtos até US$ 50, o primeiro impacto é de um acréscimo de 60% no valor, referente ao imposto de importação. Além disso, muitos estados cobram Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Com aumento da fiscalização da Receita Federal, é provável que todos passem a cobrar, entre 17% e 18% do valor do produto”, disse Thiago ao JP News.

Na visão do sócio-diretor do escritório Nelson Wilians Advogados, Sergio Vieira, que também conversou com a JP News, a medida do governo pode prejudicar o comércio digital.

“O e-commerce já vinha sofrendo com a concorrência desleal de produtos importados. Com a possibilidade de aumento nos preços, algumas pessoas podem deixar de adquirir produtos que antes importavam, podendo, assim, restringir o acesso a certos produtos, especialmente aqueles que são difíceis de encontrar no mercado interno”, disse ele.

Mudança não impactará todos os produtos 

É importante dizer que nem todos os produtos irão necessariamente ficar mais caros. Algumas destas plataformas de vendas possuem vendedores brasileiros cadastrados. “O consumidor precisa ver se o produto vem de fora ou se já está no país para fazer as contas”, disse Thiago ao JP News.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.