100 dias de Lula: o que mudou no Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Vale-Gás e outros benefícios?

Pontos-chave
  • Presidente Lula comemora 100 dias de governo;
  • O investimento em programas sociais é um destaque;
  • Algumas mudanças foram feitas do último ano para 2023.

Os primeiros 100 dias de governo são muito significativos para todo presidente da República. Nesse trimestre que se encerra, o novo chefe da União precisa já ter agradado boa parte da população por meio de projetos realizados. No seu terceiro mandato, Luiz Inácio Lula da Silva sabe bem disso. É fácil perceber que o governante priorizou a retomada de programas importantes, como o Bolsa Família.

100 dias de Lula: o que mudou no Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, vale-gás e outros benefícios?
100 dias de Lula: o que mudou no Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, vale-gás e outros benefícios? (Imagem: FDR)

Lula dedicou sua campanha eleitoral em 2022 a lembrar aos eleitores, principalmente os indecisos, sobre o funcionamento dos seus dois últimos mandatos em relação a programas sociais. Em 2003, por exemplo, foi criado o Bolsa Família que mais tarde se tornou o principal programa de transferência de renda para grupos em vulnerabilidade social.

No ano de 2009, segundo mandato de Lula, nasceu o Minha Casa Minha Vida, programa de habitação popular que ofereceu subsídios aos mais pobres. Esses principais benefícios embora fossem do país, e não pertençam a um único governo, acabaram sendo fortemente relacionados ao petista. Por isso, foram reformulados pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. 

Logo nos primeiros dias de mandato Lula tratou de retomar o nome criado originalmente para esses programa sociais. Além de divulgar investimentos em outros setores, a fim de lidar com um ponto que sempre tratou durante seus discursos: o fim da fome e redução da pobreza no país.

Destaques dos 100 primeiros dias de Lula

No dia 10 de abril completou-se 100 dias do terceiro mandato de Lula como presidente do Brasil. De acordo com um levantamento feito pelo G1, 1/3 das promessas feitas por ele durante a campanha eleitoral já foram cumpridas. Nesses primeiros 100 dias o levantamento viu que:

  • Foram 36 compromissos firmados durante a campanha;
  • 13 deles já foram cumpridos;
  • 4 foram parcialmente cumpridos;
  • 14 ainda não foram cumpridos;
  • 5  não puderam ser avaliados.

g1 levanta as promessas e separa o que pode ser claramente cobrado e medido ao longo dos mandatos dos políticos. E vai comparando a realização ou não dessas promessas ao longo dos quatro anos. Com base nesse levantamento é possível dar destaque a alguns projetos do atual governo. 

Promessas já cumpridas

Destaque para:

  • Recriações dos ministérios da Previdência Social, da Cultura, da Pesca e dos Povos Indígenas;
  • Manteve o Bolsa Família em R$ 600 e trouxe o adicional de R$ 150 para crianças;
  • Ampliação do percentual de pessoas negras em cargos do poder público;
  • Reajuste dos valores per capita do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE);
  • Retorno do programa Mais Médicos.

Volta e investimento no Bolsa Família

Conhecido por sua relação com os povos que recebem o Bolsa Família, pessoas cuja renda familiar está limitada a R$ 218 por pessoa, o governo Lula retomou esse programa. Em março ele voltou oficialmente a se chamar Bolsa Família, até então o nome era Auxílio Brasil criado por Bolsonaro.

Com o retorno outros investimentos passaram a valer, como:

  • Pagamento mínimo de R$ 600 por famílias contemplada;
  • Adicional de R$ 150 por criança de 0 a 6 anos;
  • Adicional de R$ 50 para crianças acima de 7 anos até jovens de 18 anos – começa em junho;
  • Adicional de R$ 50 para gestantes – começa em junho.

Também foi iniciado um pente-fino a fim de excluir pessoas que não cumprem com os requisitos de acesso.

Retorno do Minha Casa Minha Vida no governo Lula

Durante o governo Bolsonaro o programa de habitação popular era chamado de Casa Verde e Amarela. Agora, o Minha Casa Minha Vida retornou oficialmente pelo governo Lula. Junto com ele novidades como:

  • Aumento da renda permitida para faixa 1, podendo receber até R$ 2.640 por mês;
  • Subsídios de 80% a 95% para a faixa 1;
  • Aluguel social;
  • Novo valor de teto que pode ser financiado na faixa 1.

O Ministério das Cidades pretende financiar 2 milhões de imóveis até o fim do mandato em 2026.

Vale-gás foi mantido pelo governo Lula

Criado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, haviam dúvidas se o governo Lula manteria o vale-gás na sua gestão. Mas, o programa foi confirmado e continua sendo pago bimestralmente. A mudança foi de:

  • Pagamento será de 100% da média do botijão de gás de 13 kg para o país, medida pela ANP (Agência Nacional do Petróleo);
  • Nova seleção de famílias bimestralmente.

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]