Governo bloqueia Bolsa Família e gera problemas com famílias beneficiadas

Na última semana de pagamentos do Bolsa Família em março, o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) confirmou o início de uma nova etapa do processo de Qualificação Cadastral de 2023. O objetivo foi bloquear os depósitos de quem possuí suspeita de irregularidade no cadastro. Essa ação já gerou confusões em alguns cantos do país.

Governo bloqueia Bolsa Família e gera problemas com famílias beneficiadas
Governo bloqueia Bolsa Família e gera problemas com famílias beneficiadas (Imagem: FDR)

De acordo com o MDS, foi feita a “antecipação dos bloqueios de benefícios decorrentes da Averiguação Unipessoal“. Isso significa que famílias unipessoais, ou seja, compostas por uma única pessoa sofreram com o bloqueio do seu Bolsa Família. Para voltar a receber esses grupos terão que provar cumprir com os limites de renda familiar, de até R$ 218 por pessoa.

Além do Bolsa Família, também estão passando pelo processo de averiguação cadastral os inscritos em outros programas, como: Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) e pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC). De acordo com o governo federal, existem 8,2 milhões de cadastros unipessoais no Cadastro Único. Desse número, 4,9 milhões recebem o Bolsa.

Os bloqueios serão efetivados em abril, ou seja, deixam de acontecer no próximo mês a partir do dia 14. Preocupados, alguns beneficiados já começaram a reagir. Na última sexta-feira (31), a unidade do Cadastro Único em Natal (RN) ficou lotada e com uma fila extensa, a maioria de pessoas que já estavam com benefício bloqueado.

Como desbloquear o Bolsa Família?

De acordo com as informações do MDS, o objetivo da Averiguação Cadastral Unipessoal é verificar possíveis inconsistências na composição familiar. Caso seja constatado que os cadastros unipessoais são, na verdade, de pessoas que moram com suas famílias, mas fingiram viver sozinhos, o pagamento do benefício é descontinuado.

Constando que o recebimento do auxílio é irregular, o bloqueio começa em abril. O representante da família terá até julho para comprovar que cumpre com os critérios de renda e recebe até R$ 218 no mês.

Para comprovação será preciso comparecer até a unidade do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) apresentando documento com foto, e respondendo uma entrevista socioeconômica.

Caso não cumpra com o prazo até julho desse ano, o benefício será cancelado. Nesse caso não há mais chance de voltar a recebê-lo. O governo já havia feito bloqueios de benefícios em março, mas os que conseguiram comprovar a necessidade de recebimento do Bolsa Família já voltaram a receber.

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]