Mercado de criptomoedas atingiu novo recorde em 2022. Mas isto não é bom

De acordo com dados preliminares revelados recentemente do Crypto Crime Report 2023, que é realizado pela plataforma de dados de blockchains Chainalysis, as atividades ilegais com uso de criptomoedas totalizaram um montante recorde de US$20,1 bilhões em 2022. Este montante é relativo a 0,24% das transações com criptomoedas, dobrando os 0,12% registrados no ano anterior.

“O ano passado foi um dos mais tumultuados na história das criptomoedas, com várias grandes empresas implodindo, incluindo Celsius, Three Arrows Capital, FTX e outras – algumas em meio a alegações de fraude”, destacou o documento. Neste momento, porém, ainda não foram detectados volumes negociados ilegalmente nesses casos.

Grande parte do montante que foi transacionado de maneira ilegal (44%) é relativo a empresas que passaram por sanções do governo americano, notadamente a exchange russa Garantex, ligada à rede Hydra, que operava na darknet, em negócios que favorecia ataques hackers, com “resgate” em criptos, lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo e tráfico de drogas.

Foi detectado pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos uma movimentação de US$ 8 milhões ligada a ataques de ransomware (roubo de dados) através da Hydra e outros US$ 100 milhões através da Garantex, até abril do último ano.

No entanto, por outro lado, é mostrado pelo relatório que diante do inverno cripto o volume transacionado em criptomoedas caiu, o que inibiu as transações ilegais. “Os golpes com criptos provavelmente caíram porque os usuários estão mais pessimistas e menos propensos a acreditar nas promessas de altos retornos”, ponderou o relatório, ligando essas promessas a produtos irregulares e pirâmides. Mesmo com isso, foi detectado um aumento  de 7% no volume de criptos roubadas.

Também foram atualizadas as informações referentes ao ano de 2021. De início, foram detetadas US$ 14 bilhões em atividades ilícitas. Após a revisão e novas informações o dinheiro subiu para US$ 18 bilhões.O Crypto Crime Report 2023 completo será revelado em meados do mês que vem.

Uma criptomoeda ou cibermoeda é um meio de troca, geralmente descentralizado, que se utiliza da tecnologia de blockchain e da criptografia para assegurar a validade das transações e a criação de novas unidades da moeda

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.
Sair da versão mobile