Empréstimo consignado pelo Auxílio Brasil poderá ser renegociado em programa do governo

Não é de hoje que o empréstimo consignado pelo Auxílio Brasil recebe fortes críticas. Ainda em outubro de 2022, quando o produto foi criado, uma série de representantes do direito ao consumidor se pronunciaram contra o crédito. Tudo porque, acredita-se que oferecer empréstimo para famílias de baixa renda é uma forma de endivida-los. Por isso, será possível negociar o que foi emprestado em um novo programa do governo federal.

Empréstimo consignado pelo Auxílio Brasil poderá ser renegociado em programa do governo
Empréstimo consignado pelo Auxílio Brasil poderá ser renegociado em programa do governo (Imagem: FDR)

Para Wellington Dias, ministro do Desenvolvimento Social, o empréstimo consignado pelo Auxílio Brasil é um erro e prejudica as famílias de baixa renda. Por isso, quem contratou o crédito terá a chance de participar do programa de renegociação de dívidas que será oferecido pelo governo federal, o chamado Desenrola. A ideia é que por meio dele seja possível quitar o débito com parcelas acessíveis e juros mais baixos.

De acordo com informações do Datafolha compartilhadas em outubro do último ano, mês que o programa foi criado, uma em cada cinco pessoas beneficiadas pelo Auxílio Brasil afirma ter contratado o empréstimo consignado. Por meio dele é possível receber em torno de R$ 2,5 mil, com parcelas limitadas a R$ 160 em um prazo de pagamento de 24 meses, e juros de até 3,5% ao mês.

Para conseguir aprovar o empréstimo consignado pelo Auxílio Brasil a proposta foi apresentada em julho no Congresso Nacional. Depois, sancionada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e enfim habilitada pelo Ministério da Cidadania que determinou quais bancos poderiam oferecer o produto. Apenas a Caixa Econômica, entre os grandes, aceitou liberar o crédito.

Fim do empréstimo consignado pelo Auxílio Brasil?

Ainda no primeiro semestre desse ano, conforme expectativas do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, o programa Desenrola deve ser liberado no país. “A proposta do Desenrola tem por objetivo cuidar de cerca de 80 milhões de pessoas no Brasil que estão endividadas“, disse Haddad.

Dentro desse sistema devem ser inclusos os que contrataram o empréstimo consignado pelo Auxílio Brasil. Dessa forma, poderão eliminar uma dívida que é de longo prazo, com duração de pelo menos dois anos, e que compromete o pagamento do seu benefício mensal. Isso porque, todos os meses as famílias recebem R$ 160 a menos. 

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila CunhaLila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com