IPVA 2023: imposto vai ficar mais CARO ano que vem?

Pontos-chave
  • IPVA deve ficar mais caro em 2023 em São Paulo
  • Alíquota do IPVA no estado permanece em 4%

Todo início de ano os brasileiros precisam se preparar para o pagamento de impostos. Entre eles está o IPVA (Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores) que deve ficar mais caro em 2023. 

IPVA: contribuintes podem parcelar imposto atrasado no Paraná
IPVA 2023: imposto vai ficar mais caro ano que vem? (Imagem: FDR)

Segundo o doutor e professor de Economia do curso de Administração do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), Ricardo Balistiero, a base para os estudos é a inflação. Sendo assim, “como a inflação está acima da média e deve fechar o ano entre 5% e 6%, naturalmente, os valores do IPVA também sofrerão reajustes”, disse ele ao Jornal do Carro.

De modo geral, a alta nos preços oriunda da inflação se reflete de maneira direta nos preços de veículos novos e usados. Desta forma, o IPVA sobe. Na visão do professor, o tributo no próximo ano deve encarecer entre 3% a 4%. “Até mesmo para que o governo eleito de Tarcísio de Freitas defenda que subiu o imposto abaixo da inflação”, disse.

Não é possível ainda afirmar que haverá aumento no IPVA. A Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo disse ao Jornal do Carro que ainda não possui os valores venais dos veículos que serão usados como base de cálculo para o lançamento do IPVA 2023.

“A tabela de valores venais (que sempre é feita com base nos preços praticados em setembro do ano anterior à cobrança do tributo) tem publicação prevista em dezembro. Ela foi encomendada de maneira específica pela Sefaz-SP à Fipe. Assim, o calendário segue em elaboração”, disse o órgão, através de nota.

Alíquotas

A Sefaz informou somente que a alíquota do IPVA no estado de São Paulo permanece em 4%. Sendo assim, ela é válida para todos os automóveis de passeio (movidos a gasolina, eletricidade, flexíveis ou qualquer outro tipo de combustível). Fora isso, caminhonetes cabine simples (com capacidade até 3 ocupantes), pagam alíquota de 2%.

Segue valendo a isenção do imposto para veículos com mais de 20 anos de fabricação, para taxistas, veículos PcD e oficiais. É importante destacar que cada Estado possui sua alíquota de IPVA.

Regras 

A Sefaz também não teve como adiantar quais serão as formas de pagamento do IPVA em 2023. Não é possível saber também se serão mantidos o aumento no desconto para pagamento em cota única de 3% para 9% e o parcelamento em até 5 vezes.

A Sefaz, apesar de não ter o calendário oficial do imposto, deverá iniciar as cobranças do IPVA 2023 na primeira semana de janeiro para veículos com placa de final 1. Sendo assim, o pagamento deve permanecer concentrado na rede bancária credenciada.

IPVA mais caro assusta motoristas

Como o valor do IPVA é calculado com base no valor atual de cada veículo e os preços dos carros estão passando por um aumento por conta da escassez de peças no mercado automotivo, a alta no IPVA já é quase uma certeza. Isto está fazendo os proprietários reajustarem as despesas. 

O corretor de seguros Maurício Alves disse ao jornal Boa Tarde, São Paulo, que diversos  clientes estão dando preferência por pacotes de seguros mais em conta, com menos cobertura. “Ele sai de um seguro completo, mais abrangente, com cobertura mais ampla para, às vezes, um com cobertura só de roubo e furto, aí assume o risco de em uma colisão fazer o concerto”, disse.

Já o gerente de loja Douglas Silva, assustado com o valor do imposto e com os altos custos de um novo carro, não tem mais um veículo próprio. “Aluga, faz um plano mensal e quando assina o plano mensal, mesmo abastecendo e pagando o aluguel, no final do ano ainda economiza uma boa grana”, afirmou ele ao Boa Tarde, São Paulo.

Por fim, o empresário Edson Almeida que possuía dois carros para uma família de três pessoas, teve que vender um dos veículos para equilibrar as contas de casa. “Essa época já é complicada, escola, IPVA, tudo vai se acumulando. A gente vai se equilibrando”, disse.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.
Sair da versão mobile