Saiba o valor da herança deixada pela Rainha Elizabeth II

A rainha Elizabeth II, monarca do Reino Unido, morreu na última quinta-feira (8), aos 96 anos. Além do trono britânico, a falecida deixa como herança um patrimônio gigantesco, somando as propriedades, joias e reservas pessoais.

Elizabeth nunca informou o seu patrimônio pessoal, mesmo assim, a estimativa é que seja em torno de £ 365 milhões. Assim, a herança pessoal deixada é de cerca de R$ 2,2 bilhões. Já a Coroa Britânica como um todo tem um patrimônio de cerca de £ 24 bilhões (cerca de R$ 143 bilhões).

O palácio de Buckingham vale US$ 4,5 bilhões e o Ducado de Cornwall vale US$ 1,3 bilhões. Já outras propriedades de valores menores são o Palácio de Kensington (US$ 630 milhões) e o Ducado de Lancaster (US$ 748 milhões).

De acordo com a revista Forbes, ao todo, a família real britânica possui um patrimônio de £ 72,5 bilhões (equivalente a R$ 438 bilhões). Esse valor considera propriedades, terras, joias, entre outros rendimentos.

De onde vem o dinheiro da herança deixada pela rainha?

A Rainha Elizabeth II tinha como fontes de renda três principais rendimentos. O primeiro era o pagamento anual do Sovereign Grant recebida pelo governo. Entre 2020 e 2021, a verba chegou a 86 milhões de libras.

A “Sovereign Grant” equivale a 15% dos lucros obtidos pela coroa britânica. A renda líquida do “Crown Estate” é repassada ao Tesouro britânico, segundo um acordo selado em 1760. A quantia é usada para cobrir restaurações e manutenção do palácio.

A outra fonte era a renda privada da monarca que é composta por 315 residências, assim como estabelecimentos comerciais no centro de Londres e milhares de hectares de terras agrícolas.

Sua receita líquida no exercício de 2020-2021 foi de mais de 20 milhões de libras. “A rainha usa esse dinheiro para pagar suas despesas pessoais para manter as residências de Balmoral e Sandringham, algo muito custoso”, destacou David McClure, autor do livro “The Queen’s True Worth”.

As duas residências são propriedades privadas de Elizabeth II. Segundo McClure, a Rainha usava parte desse dinheiro para ajudar membros da família real que não receberam dinheiro público ou da “Sovereign Grant”.

As joias da Coroa, avaliadas em cerca de 3 bilhões de libras, não pertencem à rainha. Essas são transmitidas de forma automática para o seu sucessor, ou seja, ao Rei Charles III.

Glaucia AlvesGlaucia Alves
Formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar na equipe do FDR, produzindo conteúdo sobre finanças e carreira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência.
Sair da versão mobile