Calor e Copa do Mundo podem fazer estas AÇÕES terem grande VALORIZAÇÃO

Neste ano, será realizada a Copa do Mundo 2022 no Qatar. Diferentemente de outras edições, o evento será realizado no final do ano. No Brasil, os últimos meses do ano ainda devem ser marcados pelo calor. Estes dois fatores podem fazer com que as ações da Ambev tenham grande valorização.

publicidade
Calor e Copa do Mundo podem fazer estas AÇÕES terem grande VALORIZAÇÃO
Calor e Copa do Mundo podem fazer estas AÇÕES terem grande VALORIZAÇÃO (Imagem: Montagem/FDR)

A Ambev é uma companhia brasileira que se dedica à produção de bebidas, como cervejas, sucos, refrigerantes, energéticos, água e chás. Conforme analistas de mercado apurados pelo UOL, o calor e a Copa do Mundo, em novembro, podem encerrar o período de desvalorização das ações da empresa.

Do começo deste ano até metade de junho, as ações da Ambev registraram perdas acima de 10% na bolsa de valores. Contudo, desde então, os ativos vêm apresentando tendência de alta.

publicidade

Mesmo com esse ciclo altista, as ações da Ambev ainda precisam de um ‘empurrão’ para terem maiores altas, de acordo com o especialista da Valor Investimentos, Virgilio Lage. Ele prevê, até o final do ano, uma valorização entre 10% e 20% para os papéis.

Vale a pena comprar ações da Ambev?

Ao considerar a cobertura de 17 casas especializadas e bancos que analisam as ações da Ambev, dez recomendam a compra dos ativos. Outros quatro possuem visão neutra. Ainda há três que recomendam a venda.

Estas são as recomendações das instituições, por meio de seus analistas:

  • Evercore ISI (Robert Ottenstein): compra
  • Credit Suisse (Marcella Recchia): compra
  • Itaú BBA (Gustavo Troyano): neutra
  • Goldman Sachs (Thiago Bortoluci): venda
  • XP Investimentos (Leonardo Alencar): compra
  • Banco do Brasil (Mary Silva): compra
  • Scotiabank (Felipe Ucros): compra
  • Santander (Alan Alanis): compra
  • HSBC (Carlos Laboy): compra
  • JP Morgan (Lucas Ferreira): neutra
  • Citi (Sergio Matsumoto): compra
  • Bradesco (Leandro Fontanesi): compra
  • Bank of America – Merrill Lynch (Isabella Simonato): neutra
  • Morgan Stanley (Ricardo Alves): venda
  • BTG Pactual (Thiago Duarte): neutra
  • Barclays (Benjamin Theurer): compra
  • UBS (Rodrigo Alcantara): venda

Apesar de existir maior recomendação de investimento nos ativos da Ambev, ainda existem riscos. O principal deles é a inflação. Em meio aos aumentos dos preços, os consumidores podem cortar bebidas de seus orçamentos.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

A valorização do dólar também deve ser considerada, pois torna o valor do trigo mais caro. isso impacta o custo da Ambev — e no valor das ações, consequentemente.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.