SUPERMERCADOS adotam ESTRATÉGIA para REDUZIR o PREÇO DOS ALIMENTOS; entenda

A alta da inflação na casa dos dois dígitos tem impactado o bolso do consumidor brasileiro, especialmente no que compete às compras de supermercados. Assim como os combustíveis, o preço dos alimentos passam por reajustes constantes, ficando cada vez mais caros. 

publicidade
SUPERMERCADOS adotam ESTRATÉGIA para REDUZIR o PREÇO DOS ALIMENTOS; entenda
SUPERMERCADOS adotam ESTRATÉGIA para REDUZIR o PREÇO DOS ALIMENTOS; entenda. (Imagem: Montagem/FDR)

Como uma tentativa de reduzir o preço dos alimentos e evitar o repasse da inflação aos consumidores, os supermercados adotaram a estratégia da reduflação. A prática consiste na redução das embalagens no lugar de simplesmente aumentar o preço dos produtos. 

Desta forma, itens como papéis higiênicos com menor quantidade de rolos e pacotes com menos bolachas, são alguns dos exemplos da estratégia adotada pelos supermercados. De acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o índice da inflação sobre o preço dos alimentos no acumulado dos últimos 12 meses é de 16,71%.

publicidade

No entendimento dos analistas da Genial Investimentos, a rede varejista de supermercados deve apresentar um crescimento pontual no volume de vendas neste segundo trimestre do ano. O aumento será ainda mais expressivo em redes de atacarejo, embora as margens sofrem uma pressão intensa em meio aos investimentos em itens promocionais feitos por grandes empresas.

Preço dos alimentos afeta cesta básica

A alta no preço dos alimentos também afeta diretamente a composição e cobrança pela cesta básica. Diante da alta da inflação, nos últimos 12 meses, a cesta básica teve um aumento de R$ 115,05 nos supermercados. 

Com isso, o valor médio da cesta básica chegou a R$ 758,72 de acordo com os dados apurados pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Na análise foi identificado um acúmulo de 17,87% a mais no período mencionado. 

Somente nos primeiros meses de 2022, em janeiro, fevereiro, março e abril, a alta nos preços foi de 8,31%. Na tentativa de implantar uma estratégia de barateamento, o presidente da República, Jair Bolsonaro, solicitou aos donos de supermercados e empresários de cadeias de abastecimento, que reduzam o lucro dos produtos que compõem a cesta básica dos brasileiros. 

Para o chefe do Executivo Federal, o óleo, ovos, leite, açúcar e café são os itens da cesta básica mais afetados pela inflação. Já a associação afirma que a alta nos preços é proveniente dos altos custos de produção nas cadeias produtivas do setor.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.