Beneficiários do AUXÍLIO BRASIL solicitam o AUMENTO PERMANENTE das mensalidades

Com a aprovação da PEC que prevê novos benefícios e a ampliação de alguns já vigentes, beneficiários do Auxílio Brasil solicitam o aumento permanente das mensalidades. A Proposta de Emenda Constitucional estabelece que o aumento de R$ 200 nas parcelas do programa, que passa de R$ 400 para R$ 600, seja feito somente até dezembro. 

publicidade
AUXÍLIO BRASIL volta a ser pago na próxima semana; saiba quem recebe
Beneficiários do AUXÍLIO BRASIL solicitam o AUMENTO PERMANENTE das mensalidades. (Imagem: Montagem/FDR)

As famílias contempladas pelo Auxílio Brasil apesar de parecerem reconhecer a importância do aumento, julgam a medida provisória como incapaz de surtir grande efeito na vida da população que enfrenta a pobreza e a extrema pobreza.

A PEC recentemente aprovada possui previsão para entrar em vigor a partir de agosto, desse modo a garantia é de que sejam feitos cinco pagamentos do novo Auxílio Brasil.

publicidade

Novo Auxílio Brasil deve ser pago entre os meses de agosto e dezembro

A chamada PEC Eleitoral, aprovada em ano de eleições, deve colocar em vigor novos benefícios como o voucher caminhoneiro e o auxílio taxistas, além de permitir o aumento de auxílios já concedidos como o Auxílio Brasil e o Vale-Gás

A Proposta de Emenda Constitucional coloca o país em estado de emergência, sendo a maneira que o Governo Bolsonaro encontrou de driblar a lei eleitoral que proíbe a criação de benefícios do zero em ano de eleição.

A poucos meses da votação que deve decidir o próximo chefe do Executivo, as medidas buscam reverter o cenário desfavorável que veio se desenhando para o atual presidente e pré-candidato pelo PL, Jair Bolsonaro.

O caráter provisório e estratégico causa descontentamento e preocupação aos beneficiários do Auxílio Brasil que solicitam o aumento permanente. Em meio aos recentes aumentos nos preços dos produtos causados pela inflação, o valor do benefício, mesmo com o adicional, não deve suprir as compras básicas de uma família.

Auxílio Brasil de R$ 600 não deve ter o impacto esperado sobre a população mais pobre

Em matéria realizada pela Folha de São Paulo, a assistente social e diretora da Rede Brasileira de Renda Básica, Paola Carvalho, explicou que as medidas possuem relação direta com o calendário eleitoral. “Nós alertamos desde março de 2020 que vivíamos uma situação de emergência”.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

“São cinco meses de R$ 600 sabendo que a fila de espera do Auxílio Brasil é gigantesca e que, efetivamente, nós não estamos atendendo todas as famílias, nem mesmo pelo tempo necessário para que as pessoas possam se reorganizar”, afirma.

publicidade

A assistente completou afirmando que mesmo com o aumento do auxílio, as contas básicas que suprem as necessidades de uma família não devem ser seguradas pelo benefício.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.