O que são Fundos Imobiliários? Como começar a investir?

Pontos-chave
  • Os fundos imobiliários pertencem à renda variável;
  • As cotas desses ativos são negociadas na bolsa de valores;
  • Existem algumas formas de obter ganhos com essas aplicações.

Cada vez mais, os fundos imobiliários (FIIs) vêm ganhando espaço no mercado brasileiro de investimentos. Por meio desta classe, a pessoa tem a possibilidade de aplicar em ativos relacionados ao mercado imobiliário sem, de fato, precisar comprar algum imóvel.

publicidade
FDR Responde: O que são Fundos Imobiliários? Como começar a investir?
FDR Responde: O que são Fundos Imobiliários? Como começar a investir? (Imagem: Montagem/FDR)

O que são fundos imobiliários?

Os fundos imobiliários são uma classe de fundo de investimento. Nesses investimentos, as pessoas aplicam seus recursos, de forma conjunta, no mercado imobiliário.

Geralmente, as quantias são utilizadas na compra ou construção de imóveis, que serão locados posteriormente. Os ganhos conseguidos com essas operações são divididos entre os participantes — conforme a proporção investida por cada um.

publicidade

Os fundos imobiliários são negociados na bolsa de valores, assim como ocorre com ações de empresas. Ou seja, esses ativos fazem parte da renda variável, e suas cotas podem oscilar para cima ou para baixo.

De modo geral, existem duas principais formas de ganhar dinheiro com o investimento em fundos imobiliários:

  • Valorização da cota: as cotas dos FIIs são negociadas no mercado, e variam conforme a oferta e demanda. Diante disso, caso a demanda seja acima da oferta, o valor da cota tende a subir. Por outro lado, se existir menor demanda, tende a haver desvalorização;
  • Recebimento de proventos: o lucro obtido pelo fundo, em suas operações, e distribuído aos cotistas em forma de dividendos.

Tipos de fundos imobiliários

Há dois modos de classificar os fundos imobiliários: de forma mais ampla e mais específica.

Na classificação mais ampla, os FIIs são separados em:

  • Fundos de Tijolo: aplicam em ativos físicos;
  • Fundos de Papel: aplicam em ativos de renda fixa vinculados ao setor imobiliário;
  • Fundos Híbridos: aplicam em ativos físicos e em ativos de renda fixa.
publicidade

Já em classificação mais específica, há os:

  • Fundos de Shoppings;
  • Fundos de Hotéis;
  • Fundos de Galpões Industriais;
  • Fundos de Lajes Corporativas;
  • Fundos de Desenvolvimento Imobiliário;
  • Fundos de Varejo;
  • Fundos de Hospitais;
  • Fundos de Fundos;
  • Entre outros.

Ou seja, existem diversas classificações para atender variadas necessidades e estratégias dos investidores. Segundo analistas consultados pelo InfoMoney, os Fundos de Fundos são mais indicados para iniciantes. Isso por conta da diversificação natural de suas carteiras.

publicidade

Tributação dos fundos imobiliários

Mesmo que os dividendos sejam isentos de Imposto de Renda, vale destacar que o lucro obtido a partir da negociação de compra e venda das cotas é tributado em 20%.

Além disso, o interessado deve saber que o recolhimento desse imposto deve ser feito pelo próprio investidor. Para realizar o pagamento, será necessário emitir um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) no site da Receita Federal.

O pagamento precisará ser efetuado até o último dia útil do mês posterior ao mês em que o investidor teve lucro.

publicidade
A negociação de fundos imobiliários pode acontecer por meio de uma corretora
A negociação de fundos imobiliários pode acontecer por meio de uma corretora (Imagem: Montagem/FDR)

Como começar a investir em fundos imobiliários?

A negociação de fundos imobiliários de maior relevância acontece na bolsa de valores. Para ter acesso às cotas, basta seguir estes passos:

  1. Abra conta em uma corretora de valores: por meio da corretora, será possível comprar e vendas as cotas de fundos imobiliários. Para a abertura de conta, será necessário fazer um cadastro com as informações solicitadas pela instituição. Em grande parte das corretoras, esse procedimento acontece de forma totalmente online.
  2. Transfira dinheiro para a conta: para operar no mercado, o interessado precisa enviar dinheiro para a conta aberta na corretora.
  3. Escolha os fundos imobiliários: existem diversas opções de fundos na bolsa de valores. Por conta disso, o interessado precisa analisar qual deles poderá ser a melhor opção. Caso ainda tenha dúvidas, a pessoa pode solicitar ajuda para a equipe da respectiva corretora.
  4. Invista em fundos imobiliários: após escolher o FII, será preciso enviar uma ordem de compra por meio da corretora. Para isso, basta digitar o código do fundo imobiliário, o número de cotas e a quantia que deseja pagar. A oferta seguirá para o mercado. Caso tenha algum participante disposto a vender suas cotas por aquele preço, o negócio será fechado.

Ainda cabe ressaltar que nem todos os fundos imobiliários são negociados na bolsa de valores. No caso da negociação de algum FII que não esteja listado na bolsa, a compra e venda precisará ser realizada diretamente com outros investidores.

publicidade

Sendo assim, este processo pode ser mais complexo e lento — o que pode não ser a melhor opção para quem deseja começar a investir nessa classe.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.