Siga estas dicas para não estourar o limite do seu cartão de crédito igual a influencer Gabi Brandt

Pontos-chave
  • Siga algumas dicas para não se enrolar com o cartão
  • Ideal é ter no máximo dois cartões
  • Entenda a polêmica envolvendo Gabi Brandt

Recentemente, a influenciadora Gabi Brandt ocasionou discussões na internet por conta da fatura de seu cartão de crédito no valor de mais de R$300 mil. No vídeo, ela se mostra “preocupada” com o valor e se pergunta como fará para pagar. Quem utiliza um cartão sabe como as vezes é difícil se controlar e gastar apenas o que pode não é? Se este é seu caso, confira dicas especiais para evitar se enrolar com o cartão de crédito e não bagunçar suas finanças.

publicidade
Quase 8 em cada 10 famílias estão endividadas no Brasil
Siga estas dicas para não estourar o limite do seu cartão de crédito igual a influencer Gabi brandt (Imagem: Montagem/FDR)

Dicas para não se enrolar com o cartão de crédito

Ao Metrópoles, o diretor da Valorum e especialista em finanças, Marcos Sarmento Melo, disse que é muito fácil se descontrolar com o cartão de crédito, especialmente por um fator psicológico. 

“Quando usamos o cartão de crédito, não estamos vendo o dinheiro sair, e acaba ficando mais fácil usá-lo para fazer as compras. Tem que tomar muito cuidado, porque acaba acumulando e no final (do mês) pode-se não ter o dinheiro para fazer o pagamento integral daquela fatura”, disse ele ao Metrópoles.

publicidade

Ele alerta ainda para o perigo de não pagar o valor total fatura. “Quando não se paga o total da fatura, a taxa de juros que se cobra a cada dia daquilo que deixou de ser pago é muito alta, e isso é perigoso”.

Marcos aconselha ainda que os consumidores devem usar apenas o que já possuem, em dinheiro vivo. Não é certo usar o cartão contando com um dinheiro que ainda vai receber. “Se já tiver o salário na conta corrente, aí sim. Usa dentro daquele limite de dinheiro que já tem”.

Por fim, o especialista diz que o ideal é ter apenas um ou dois cartões, pois um grande número contribuem para perder o controle. O ideal ter apenas um cartão, no máximo dois. Sendo um como reserva ou para algum gasto que seja muito específico”, finalizou Melo ao Metrópoles.

Mais dicas para sair das dívidas com o cartão de crédito 

  • Saiba exatamente quanto está devendo

É importante saber primeiramente quanto está devendo. Contate a administradora do cartão para pedir o CET (Custo Efetivo Total). Somente com isso, você saberá exatamente o quanto deve. O Procon-RJ explica que isto é um direto de todos os consumidores.

  • Confira suas finanças a fundo
publicidade

Após saber o tamanho de sua dívida com o cartão de crédito, o momento agora é o de descobrir quanto é possível reservar todos os meses para pagar essa dívida. Faça uma planilha no computador ou em um caderno para ter uma visão geral de suas finanças. É importante ter o controle de tudo que se ganha, os gastos fixos e os eventuais.

  • Negocie a dívida

Após estes primeiros passos, é importante entrar em contato com o cartão e tentar uma negociação especial com a administradora. Uma dica primordial é aceitar a proposta se ela realmente estiver dentro das possibilidades do consumidor. Caso contrário, o consumidor pode se atrapalhar novamente.

publicidade

Gabi Brandt e a polêmica

A influenciadora digital Gabi Brandt recebeu diversas críticas no início desta semana, após mostrar para seus seguidores e fingir desespero em seu perfil no Instagram, a fatura de seu cartão de crédito no valor de mais de R$300 mil reais. Este é mais um caso de subcelebridades que gostam de exibir seus gastos exorbitantes enquanto fingem não saber como pagar.

Gabi tentou se explicar no seu Instagram na quarta, 6, e disse que “não gasta isso todo mês” e afirmou que, na verdade, a fatura do cartão veio alta pois ela viajou e comprou todas as passagens em seu cartão “das babás, de todo mundo”. Ela disse ainda que algumas pessoas que estavam junto com ela, utilizaram o seu cartão para efetuar compras. “Não vou pagar tudo, mas não vou negar que gastei bastante!”.

“Nas outras viagens que a gente fez eu cheguei a comentar que o cartão do pessoal não estava funcionando fora do Brasil, o meu era o único que estava. Então tudo o que a gente gastou foi no meu cartão. Tanto hotel, coisas nas lojas. Não só pra mim, como pra outras pessoas. Está tudo bem. Também não fui eu que paguei a fatura inteira. Ninguém gastou no meu cartão e largou para eu pagar tudo”, disse.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.