Auxílio emergencial de R$ 400 poderá ser prorrogado em Belo Horizonte

Nessa quarta-feira (6), a prefeitura municipal de Belo Horizonte enviou para Câmara de Vereadores um projeto de lei para votação. O texto solicita a prorrogação por mais quatro meses do pagamento do auxílio emergencial municipal. Caso seja aprovado, vai contemplar mais de 74 mil famílias. 

publicidade
Auxílio emergencial de R$ 400 poderá ser prorrogado em Belo Horizonte
Auxílio emergencial de R$ 400 poderá ser prorrogado em Belo Horizonte (Imagem: FDR)

O auxílio emergencial em Belo Horizonte não é novidade. O programa é o mesmo que iniciou em 2021, mas dessa vez vai contemplar menos beneficiados. No último ano foram beneficiadas 204 mil famílias de diferentes grupo. Dessa vez, a ideia é que pouco mais de 74 mil famílias que vivem em extrema pobreza sejam inclusas.

A apresentação do projeto de lei que prorroga o pagamento foi feita pelo próprio prefeito, Fuad Noman (PSD). Alguns vereadores também participaram do evento que pediu pela alteração na Lei 11.314.

publicidade

Como vai funcionar o pagamento do auxílio emergencial

Maíra Colares, secretária municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, estava presente no evento e explicou como funcionará o pagamento. Dessa vez serão dois valores diferentes, R$ 400 e R$ 800 destinado a grupos distintos.

60 mil famílias em situação de extrema pobreza serão beneficiadas com o auxílio emergencial de R$ 800. Enquanto outras 14 mil famílias, enquadradas na faixa de pobreza, receberão o pagamento de R$ 400. 

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Não haverão novos cadastros para essa segunda rodada, a prefeitura municipal vai usar o sistema já existente. Quanto ao valor a ser investido, Maíra garante que não ficará fora do que já estava previsto.

Investimos R$ 180 milhões na primeira etapa e vamos investir mais R$ 55 milhões, dentro dos R$ 240 milhões previstos“, disse a secretária.
O prefeito Fuad pediu urgência na votação e aprovação do projeto. Ele relacionou a medida com a espera da população para se alimentar. “É a diferença entre ter um prato de comida na mesa ou não ter“, declarou o prefeito em defesa do projeto.
Em resposta, a presidente da Câmara de Vereadores, Nely Aquino (Podemos), fez uma previsão otimista sobre o envio do projeto. Ela acredita que os vereadores votarão a favor da medida nos dois turnos, e que até meados de agosto o prefeito deva receber o texto em sua mesa para sanção.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Lila Cunha
Lila Cunha é formada em jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atua como repórter especial para o portal FDR. É responsável por selecionar as informações abordadas e garantir o padrão de qualidade das notícias veiculadas. Além disso, trabalha com apuração de hard news desde 2019, cobrindo o universo econômico em escala nacional.