Dólar nas alturas e Ibovespa ladeira abaixo; entenda o que está acontecendo

Nesta terça-feira (5), o dólar encerrou em alta de 1,21%, cotado a R$ 5,3893. Este foi o maior valor desde 28 de janeiro, quando tinha chegado a R$ 5,39. Na outra ponta, o Ibovespa, principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, recuou 0,32%, a 98.295 pontos.

publicidade
Dólar nas alturas e Ibovespa ladeira abaixo; entenda o que está acontecendo
Dólar nas alturas e Ibovespa ladeira abaixo; entenda o que está acontecendo (Imagem: Montagem/FDR)

Ao longo da sessão desta terça-feira, o dólar chegou à máxima de R$ 5,4035. No dia anterior, a moeda norte-americana tinha registrado alta de 0,08%, cotado a R$ 5,3251.

No acumulado de junho, o dólar apresenta alta de 2,99%. Apesar disso, neste ano, a moeda estrangeira ainda registra desvalorização de 3,33% ante o real.

publicidade

Já o Ibovespa, na mínima do pregão, chegou a despencar mais de 2%, a 96.499,42 pontos. O valor intradia foi o menor desde dezembro de 2020. Na sessão anterior, o índice da bolsa de valores brasileira tinha apresentado queda de 0,35%, a 98.609 pontos.

Em junho, o principal índice da B3 acumula recuo de 0,67%. No entanto, no acumulado deste ano, o indicador apresenta aumento de 6,23%.

O que está acontecendo no mercado que afetou dólar e Ibovespa

A valorização do dólar e a queda do Ibovespa acontecem diante de temores com uma possível recessão mundial. Em meio a este cenário, os investidores pelo mundo vêm migrando para os ativos seguros.

Em relatório, a equipe de economia do Bradesco destaca o prosseguimento da cautela com a possibilidade de recessão em escala global, diante da continuidade do aperto monetário nas principais economias.

Os investidores seguem observando, especialmente, as ações do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos). Nesta quarta-feira (6), a autoridade monetária divulgará a ata da última reunião. Neste documento, deve haver indicativos do futuro da política monetária nos EUA.

No mês passado, o Federal Reserve subiu os juros em 0,75 ponto percentual. Essa elevação representa uma alta nos valores dos empréstimos — de forma a provocar uma desaceleração econômica. Desse modo, a instituição visa controlar a inflação local.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

No cenário interno, os agentes financeiros seguem observando que o risco fiscal brasileiro continua alto. A consideração acontece em meio à tramitação, na Câmara dos Deputados, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Benefícios.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.