Quer morar em São Paulo? Veja a média de preço dos aluguéis residenciais 

O Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) divulgou uma pesquisa sobre o valor dos aluguéis . De acordo com os dados coletados, a média de preço dos aluguéis residenciais na capital paulista teve uma alta de 2,21%. O percentual corresponde ao período  entre junho de 2021 e maio deste ano.

publicidade

De acordo com a pesquisa do Secovi-SP, o valor médio de preço dos aluguéis de casas e apartamentos na cidade analisada ficou abaixo da inflação, que ficou em 10,72%. A inflação é medida pelo Índice Geral de Preços Mercado (IGPM). O órgão responsável pela coleta de dados é a Fundação Getúlio Vargas.

O IGPM é usado como referência para o reajuste anual da maior parte dos contratos de aluguel residencial. Os dados são divulgados mensalmente e, portanto, é possível fazer a comparação entre os meses e anos.

A pesquisa do Secovi-SP além de monitorar o mercado de aluguéis na capital paulista, também calcula os valores por m² dos imóveis. No caso de apartamentos, o cálculo é feito da área privativa. Já no caso de casas e sobrados é calculada toda área construída.

publicidade

Alta no preço dos aluguéis residenciais 

Nos primeiros cinco meses deste ano, os valores dos contratos tiveram um aumento de 1,4% comparado ao mesmo período de 2021. Só no mês de maio deste ano, o preço dos aluguéis tiveram um aumento de 0,4% em relação a abril. Os imóveis com apenas um quarto tiveram o maior aumento, de 0,5%.

(13) Planejamento financeiro SIMPLES e FÁCIL para quem ganha salário mínimo – YouTube

De acordo com a pesquisa, no mês de maio 45,5% dos contratos entre proprietários e inquilinos usaram o fiador como forma de garantia. Já o depósito de três meses de aluguel  aparece em 39,5% dos contratos. Por fim, o seguro-fiança foi usado em 15% dos contratos.

O Índice de Velocidade de Locação também é avaliado na pesquisa. Esse índice calcula o número de dias de espera até a assinatura do contrato de aluguel. Segundo os dados analisados, o período de espera variou de 32 a 84 dias.

A espera para casas e sobrados aconteceu entre 32 e 56 dias. Já os contratos de apartamentos foram finalizados com mais demorado, em um prazo de 36 a 82 dias. A pesquisa é dividida em cinco regiões: Centro, Norte, Leste, Oeste e Sul. As três últimas são subdivididas em duas áreas.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.