Nova greve vem aí? Confira o que disse o líder dos caminhoneiros após nova alta dos combustíveis

Um dos lideres dos caminhoneiros, Wallace Landim (conhecido como Chorão), criticou de maneira intensa o atual governo comandado por Jair Bolsonaro por conta no novo reajuste no preço dos combustíveis anunciado no final da semana passada pela Petrobras. Ele voltou a sinalizar uma nova greve da categoria.

“A grande falha e incompetência do governo Bolsonaro foi não ter reestruturado a Petrobras e suas operações no início do governo, de não ter dado início a mudanças estruturantes na empresa”, afirmou Wallace, presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava).

“O governo se acomodou e, por ironia do destino, o Ministro apelidado de ‘posto Ipiranga’ (ministro Paulo Guedes), que deveria resolver esse problema é o grande culpado desse caos, e hoje chegamos nesse ponto crítico, sendo que ainda temos sérios risco de falta de diesel. Bolsonaro precisa entender que ficar dando chilique não vai resolver o problema”, seguiu falando.

Na última quinta, 16, o presidente Jair Bolsonaro, em sua live semanal nas redes sociais, afirmou que a Petrobras age por “interesse político” ao subir o preço dos combustíveis de maneira consecutiva. Em sua visão, a razão disto seria “atingir o governo federal”.

Possível greve 

De acordo com o líder dos caminhoneiros, o anúncio de uma nova greve pode ser inevitável. “A verdade é que, de uma forma ou de outra, mantendo-se essa política cruel de preços da Petrobras, o país vai parar novamente. Se não for por greve, será pelo fato de se pagar para trabalhar. A greve é o mais provável”, disse ele, através de um comunicado.

Wallace afirmou que a categoria vem sinalizando há bastante tempo para os reflexos desta política de preços utilizadas pela Petrobras e dos problemas econômicos que isto vem trazendo para a sociedade.

“Os caminhoneiros autônomos têm 3 grandes contas para pagar: 1º a nossa casa (aluguel, comida, luz, água e etc.), 2º o Diesel (sem ele o caminhão não anda), 3º a manutenção do caminhão. Essa 3ª conta não está sendo paga, colocando em risco sua própria vida e a de terceiros. O caminhoneiro está sendo esmagado pela inflação e pela alta do diesel”, finalizou Wallace no comunicado. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.