Brasil integra ranking de países com a gasolina mais cara, veja a sua colocação

O Brasil integra o ranking de países com a gasolina mais cara do mundo e pode mudar de colocação já nesta segunda-feira, diante do novo aumento de preço anunciado pela Petrobras na última semana. A responsável pelos dados é o Global Petrol Prices que realiza pesquisa semanal dos preços da gasolina em 168 países.

No ranking da segunda semana do mês, que foi de 7 a 13 de junho, o preço da gasolina para o consumidor foi registrado com o menor custo na Venezuela, onde o litro estava custando US$ 0,02, o equivalente a R$ 0,11. O valor mais alto foi registrado em Hong Kong, onde o litro do combustível alcançou US$ 3, cerca de R$ 15,4.

Confira os 10 países com o litro da gasolina mais baratos na segunda semana de junho de 2022:

1° Venezuela- US$ 0,022

2° Líbia- US$ 0,031

3° Iran- US$ 0,053

4° Síria- US$ 0,286

5° Argélia- US$ 0,313

6° Kuwait- US$ 0,342 

7° Angola- US$ 0,368

8° Nigéria-US$ 0,416

9° Turcomenistão- US$ 0,428 

10° Malásia- US$ 0,464

O Brasil está longe do topo do ranking, aparecendo somente em 83°, com o litro da gasolina a US$ 1,41, cerca de R$ 7,25 o valor médio registrado no último levantamento. Diante do reajuste de 5,2% anunciado recentemente pela Petrobras, o país pode vir a cair algumas colocações.

Confira os 10 países com o litro da gasolina mais caro na segunda semana de junho de 2022:

159° Singapura- US$ 2,302

160° Mônaco- US$ 2,356

161° República Centro-Africana- US$. 2,393

162° Países Baixos- US$ 2,465

163° Grécia- US$ 2,506

164° Islândia- US$ 2,598 

165° Finlândia- US$ 2,644

166° Dinamarca- US$ 2,653

167° Noruega- US$ 2, 701

168° Hong Kong- US$ 2,999

Entenda o preço da gasolina no Brasil

No passado, o preço do barril de petróleo no Brasil, não sofria a comparação com o mercado internacional devido ao controle no uso do balanço da Petrobras. 

Diante da política de paridade de preços internacionais, a PPI, que passou a ser implantada, a Petrobras realiza o pareamento da gasolina na refinaria com o preço no mercado internacional. 

Como sócio majoritário, o governo possui como forma de influenciar nos preços dos combustíveis, as políticas públicas. Recentemente, o Congresso aprovou o Projeto de Lei que visa limitar a 17% a cobrança do ICMS, medida segue agora para o presidente Jair Bolsonaro onde deve ser sancionado.

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.