Brasil continua na liderança dos juros reais mais altos do mundo

Após o novo aumento da taxa Selic, de 12,75% para 13,25% ao ano, o Brasil continua na liderança dos juros reais (descontada a inflação) mais altos de mundo. O levantamento, que se baseou em juros reais de 40 países, foi realizado pelo MoneyYou e pela Infinity Asset Management.

Brasil continua na liderança dos juros reais mais altos do mundo
Brasil continua na liderança dos juros reais mais altos do mundo (Imagem: Montagem/FDR)

Na última quarta-feira (15), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumentou, de forma unânime, a taxa Selic em 0,5 ponto percentual.

Esta foi a décima primeira elevação seguida na taxa básica de juros. Atualmente, a taxa Selic está no maior nível desde dezembro de 2016, quando tinha chegado a 13,75% ao ano.

Mesmo com o aumento recente, a autoridade monetária ainda pretende manter o aperto monetário. Em comunicado, o Comitê alegou antever um novo reajuste na taxa de juros na próxima reunião — que acontecerá no começo de agosto. A elevação será “de igual ou menor magnitude”.

Brasil continua na liderança dos juros reais mais altos do mundo

Em maio, o Brasil passou a ocupar a primeira colocação no ranking de juros reais. Ou seja, com o levantamento recente, o país vem se consolidando na liderança entre as nações apuradas.

Segundo o ranking desenvolvido pelo economista-chefe da Infinity, Jason Vieira, ao considerar a inflação estimada para os próximos 12 meses, de 5,32%, os juros reais do Brasil passaram para 8,10% ao ano — com a nova taxa Selic.

Segundo Vieira, a inflação mundial continua, “a qual se acelerou na maioria das medidas, dadas as ainda contínuas pressões e choques de oferta ao atacado e aceleração de demanda, em vista ao processo de reabertura de diversas localidades, convertendo a maioria das taxas em terreno negativo”.

Na média da pesquisa realizada pela Infinity, o juro real dos países ficou em -1,70% ao ano. A nação com menor juros reais foi a Argentina, com -14,16%.

ao considerar os juros nominais (sem descontar a inflação), o Brasil subiu para a terceira posição — após a Rússia cortar sua taxa no começo deste mês.
Os juros nominais do Brasil chegam a 13,25% ao ano. O país está atrás somente da Argentina (49,00%) e Turquia (14,00%).

Dentre as nações apuradas pelo levantamento, a com menor juros nominais é a Suíça, que registra -0.75% ao ano.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.