Auxílio Brasil é maior que o regime CLT em alguns estados do país

Auxílio Brasil chega a ser maior que o regime CLT em alguns estados. Na última semana, o levantando do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) relevou que há 13 unidades federativas que recebem mais salários sociais pelo AB do que atuam de carteira assinada. Entenda os impactos desse cenário, abaixo.

Auxílio Brasil é maior que o regime CLT em alguns estados do país (Imagem: FDR)
Auxílio Brasil é maior que o regime CLT em alguns estados do país (Imagem: FDR)

Em período de crise econômica e social, o Brasil está apresentando indicadores extremamente preocupantes para a população. Os levantamentos do Caged, gerenciado pelo próprio Ministério do Trabalho, afirmam que há mais segurados do Auxílio Brasil do que profissionais de carteira assinada.

Distribuição por estado

Segundo os dados, 13 dos 27 estados nacionais atualmente têm a maioria da população como beneficiário do Auxílio Brasil. A grande maioria está nas regiões Norte e Nordeste onde os indicativos de vulnerabilidade são ainda mais altos.

A pesquisa observou os dados dos nove estados do Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe), além de quatro dos sete estados do Norte (Acre, Amapá, Amazonas e Pará). Juntas, as duas regiões concentraram 76,3% das famílias que receberam o pagamento em março.

No total, o país contabiliza 41,2 milhões de empregados formais. Já o número de segurados do Auxílio Brasil é de 18 milhões. É válido enfatizar que ainda há uma demanda reprimida de 1,3 milhão de famílias que não receberam o pagamento embora atendessem aos critérios do programa.

Em 2.892 das 5.570 cidades do país (51,9%), são contempladas pelo Auxílio Brasil. Em 1.695 das 1.794 cidades nordestinas o número de beneficiários do programa supera o total de empregados com carteira assinada, o que corresponde a 94,5% dos municípios. No Norte, esse índice é de 83,5%, com 376 das 450 cidades nessa situação.

Calendário do Auxílio Brasil em junho

  • NIS com final 1: recebem e podem sacar dia 17 de junho
  • NIS com final 2: recebem e podem sacar dia 20 de junho
  • NIS com final 3: recebem e podem sacar dia 21 de junho
  • NIS com final 4: recebem e podem sacar dia 22 de junho
  • NIS com final 5: recebem e podem sacar dia 23 de junho
  • NIS com final 6: recebem e podem sacar dia 24 de junho
  • NIS com final 7: recebem e podem sacar dia 27 de junho
  • NIS com final 8: recebem e podem sacar dia 28 de junho
  • NIS com final 9: recebem e podem sacar dia 29 de junho
  • NIS com final 0: recebem e podem sacar dia 30 de junho

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.