Auxílio Brasil: como aumentar o valor da mensalidade?

Pontos-chave
  • Auxílio Brasil paga mensalidade média de R$ 400;
  • Benefícios secundários podem aumentar valor do benefício;
  • Pagamentos de junho começam na próxima semana.

Uma rodada do Auxílio Brasil mal acabou e os pagamentos de junho já devem retornar na próxima semana. Quase 20 milhões de famílias em situação de vulnerabilidade social são amparadas pela transferência de renda atualmente. 

Auxílio Brasil: como aumentar o valor da mensalidade?
Auxílio Brasil: como aumentar o valor da mensalidade?(Imagem: FDR)

Há algumas semanas, o presidente da República, Jair Bolsonaro, fixou o piso mínimo do Auxílio Brasil em R$ 400. Este é o valor mínimo que as famílias devem receber de agora em diante, e não mais uma quantia condicionada ao cumprimento de critérios secundários. 

O valor do programa, embora seja uma conquista para os beneficiários, ainda não é o bastante para atender todas as necessidades de um grupo familiar, especialmente um que se encontra em situação de vulnerabilidade social. Por outro lado, algumas famílias recebem quantia superiores. Inclusive, em determinadas localidades, o valor médio superou a faixa de R$ 500 em maio. 

Como aumentar o valor do Auxílio Brasil

A mensalidade paga a cada família beneficiária do Auxílio Brasil é calculada com base na soma dos abonos complementares. Lembrando que o programa é composto não apenas por um, mas quase dez benefícios secundários. Podem haver variações de acordo com a composição do núcleo familiar. 

Veja a seguir a relação de benefícios complementares do Auxílio Brasil:

  • Benefício Primeira Infância: pago a famílias com crianças de 0 a 36 meses incompletos – R$ 130 por integrante (limitado a 5 benefícios);
  • Benefício Composição Familiar: pago a famílias com gestantes ou com integrantes de três a 21 anos incompletos – R$ 65 por integrante (limitado a 5 benefícios);
  • Benefício de Superação da Extrema Pobreza: pago a famílias com renda mensal por pessoa igual ou inferior ao valor da linha de extrema pobreza (até R$ 100) – Valor calculado individualmente para cada família;
  • Auxílio Esporte Escolar: pago a estudantes (entre 12 e 18 anos incompletos) que se destacarem nos Jogos Escolares Brasileiros – R$ 100 + parcela única de R$ 1 mil;
  • Bolsa de Iniciação Científica Júnior – pago a estudantes que se destacarem em competições acadêmicas e científicas nacionais – R$ 100 + parcela única de R$ 1 mil;
  • Auxílio Criança Cidadã: pago a famílias com criança de 0 a 48 meses incompletos, que não conseguirem vagas em creches públicas ou conveniadas – R$ 200 (turno parcial) e R$ 300 (turno integral);
  • Auxílio Inclusão Produtiva Rural: pago a agricultores familiares inscritos no Cadastro Único – R$ 200 por família;
  • Auxílio Inclusão Produtiva Urbana: pago a beneficiários do Auxílio Brasil que comprovarem vínculo de emprego formal – R$ 200 por família;
  • Benefício Compensatório de Transição: pago a famílias beneficiárias do Bolsa Família que tiverem redução no valor recebido – Valor calculado individualmente para cada família.

Mudanças na distribuição dos benefícios secundários do Auxílio Brasil 

De acordo com as novas regras do Auxílio Brasil, também foram feitas mudanças na distribuição dos benefícios secundários que compõem o valor final do programa. Lembrando que cada um desses benefícios extras são concedidos com base no perfil de cada família beneficiada, e são regidos por valores distintos. 

A partir de agora, a bolsa de Iniciação Científica Júnior e o Auxílio Inclusão Produtiva Rural começarão a ser repassados. O mesmo vale para o Benefício Compensatório de Transição, concedido aos beneficiários que tiveram uma redução no valor do benefício em meio à substituição do Bolsa Família pelo Auxílio Brasil. 

Ainda foi acrescentado o Benefício de Composição Familiar, que libera uma quantia mensal de R$ 65 para cada integrante do grupo familiar com idade entre seis a 21 anos incompletos e para gestantes, com duração de nove meses. Outra novidade é o Benefício de Superação da Extrema Pobreza, concedido com o propósito de retirar famílias da situação de extrema pobreza. 

Outra determinação no novo texto do Auxílio Brasil é a possibilidade de o beneficiário escolher o modo de recebimento do benefício. Agora, ele poderá optar pelo recebimento em bancos privados caso possua conta corrente ou poupança em algum deles. Até então, os pagamentos eram feitos exclusivamente pela Caixa Econômica Federal (CEF) por meio do aplicativo Caixa Tem.

Calendário do Auxílio Brasil em junho

  • NIS com final 1: 17 de junho;
  • NIS com final 2: 20 de junho;
  • NIS com final 3: 21 de junho;
  • NIS com final 4: 22 de junho;
  • NIS com final 5: 23 de junho;
  • NIS com final 6: 24 de junho;
  • NIS com final 7: 27 de junho;
  • NIS com final 8: 28 de junho;
  • NIS com final 9: 29 de junho;
  • NIS com final 0: 30 de junho;

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.