Brasileiros estão gastando mais com bebidas, mas apenas 15% preferem marcas nacionais

No Brasil, a fabricação de bebidas alcoólicas teve um crescimento de 5% em março deste ano, em relação ao mesmo período de 2021, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar disso, as bebidas nacionais ainda enfrentam algumas barreiras impostas pelos consumidores locais.

publicidade

Segundo um estudo da Nielsen, ao se tratar de bebidas alcoólicas e gaseificadas, apenas 15% dos brasileiros preferem marcas nacionais.

Além disso, conforme uma pesquisa da Intangible Business e da Drinks Power Brands, entre as 100 marcas de vinhos e destilados mais poderosas do planeta, o Brasil aparece uma única vez na 51º colocação,. A posição é ocupada por um conhaque famoso.

No país, existe um estigma que somente as companhas estrangeiras investem financeiramente em ingredientes selecionados e receitas elaboradas. Diante disso, os rótulos brasileiros são observados, por alguns consumidores, com certa desconfiança.

publicidade

Poucas bebidas nacionais são vistas como de qualidade

O criador do rum Cavendish, Joseph Van Sebroeck, afirma que “as pessoas pensam que no Brasil apenas a cachaça e a cerveja são bebidas nacionais de qualidade.

Em novembro de 2020, o empreendedor lançou a bebida. Ele escolheu o rum justamente por ser uma bebida ainda pouco explorada pelo mercado local. Uma das versões mais repetidas é que o rum surgiu nas ilhas do Caribe. Isso teria sido em 1500.

Sebroeck revela que não queria, por exemplo, apostar em uma bebida como o Gin. Isso porque já há muitas companhias locais que fazem isso. Diante disso, o empreendedor decidiu “por algo que pudesse ser uma novidade no mercado”.

Outra questão importante na hora de lançar a bebida foi pensar em um modo de atrair os consumidores no momento de disputar espaço nas gôndolas entre diversas garrafas de bebidas importadas.

Desse modo, o empreendedor decidiu colocar na embalagem uma ilustração de um famoso pirata inglês. Este fez história no litoral norte de São Paulo.

“Meu pai sempre me contava essa história quando eu era criança, então eu decidi batizar o rum com o nome do pirata Cavendish, o que causa até uma certa dúvida nos consumidores se a bebida é brasileira ou estrangeira”, afirma.

publicidade

Além da embalagem, os ingredientes usados na produção do destilado é outro ponto importante na hora de mostrar que os produtos locais têm bom custo-benefício.

O rum é produzido em uma localização privilegiada. A área fica entre o litoral norte do estado de São Paulo e a represa de Paraibuna, em meio a Serra do Mar. Em uma parcela de seu território, a região preserva matas e campos intocados.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.