Aprenda a criar e fazer render a sua reserva de emergência

Diante das incertezas do cotidiano, umas das formas de se proteger financeiramente é por meio da reserva de emergência. Para enfrentar esses momentos de imprevistos, vale contar com uma quantia em dinheiro disponível de forma imediata.

publicidade
Aprenda a criar e fazer render a sua reserva de emergência
Aprenda a criar e fazer render a sua reserva de emergência (Imagem: Montagem/FDR)

Ao não se ter uma reserva de emergência, ficam comprometidos tanto o presente quanto o futuro das famílias. Situações de emergência, como problemas de saúde ou perda de emprego, pode afetar qualquer um. Sendo assim, reservar dinheiro se torna importante.

Ter uma reserva de emergência é o segundo principal objetivo de quem faz investimentos no país, atrás somente da meta da casa própria, segundo pesquisa feita pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), em parceria com o Datafolha.

publicidade

Apesar de os brasileiros demonstrarem interesse por montar uma reserva de emergência, ainda há muitos que não sabem por onde iniciar.

Aprenda criar e fazer render a sua reserva de emergência

  • Como começar a poupar:

A reserva de emergência é um recurso financeiro para ser utilizado em momentos de grande necessidade.

A especialista em finanças Nathalia Arcuri, em seu canal “Me Poupe!” compara esse tipo de reserva ao kit de primeiros socorros. Segundo ela, “ambos ficam guardados e você espera nunca ter que usá-los”.

Para a criação de uma reserva de emergência, a especialista recomenda calcular o custo de vida para um período de seis meses. Vale destacar que isso não significa multiplicar o salário por seis, mas entender o total de despesas por mês.

Para isso, há a indicação de colocar no papel todos os gastos fixos e variáveis. Após descobrir esse número, se deve realizar a multiplicação por seis. Essa quantia final será a meta para poupar.

publicidade
  • Como fazer o dinheiro render:

Inicialmente, juntar os valores necessários para manter os gastos por seis meses pode parecer uma tarefa difícil. Nathalia afirma que o segredo é escolher os investimentos que trabalharão para o investidor — de forma a fazer o dinheiro poupado render.

A especialista recomenda não optar pela caderneta de poupança. Isso porque sua remuneração é menos em relação a outras aplicações.

publicidade

Para acessar outros tipos de produtos financeiros, é recomendável abrir uma conta em alguma corretora de investimentos. Essa plataforma conta com uma equipe de profissionais capacitados para orientar sobre as melhores opções disponíveis.

Entre as alternativas para criar uma reserva de emergência, estão os títulos do Tesouro Direto e os Certificados de Depósito Bancário (CDB) com liquidez diária.

Essas opções, além de serem mais seguras em comparação a outras aplicações, ainda estão rendendo mais — por conta do ciclo de alta da taxa Selic. Atualmente, a taxa básica de juros está em 12,75% ao ano.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.