Maior segurança e retorno ao investir: A importância da diversificação

Diversificar seus investimentos, significa mais segurança do que investir apenas na poupança ou apenas em ativos de renda fixa e maior possibilidade de ganhos elevados.

Importante: Não adianta diversificar por diversificar, saber escolher bons investimentos é fundamental. Diversificar entre “todas as ações” da bolsa, COE, título de capitalização, debênture, fundo de renda fixa e fundo multimercado, só irá aumentar o seu risco e a possibilidade de você perder dinheiro.

O simples que muitos investidores não entendem:

Se você tem R$ 5.000,00 em investimentos em um único ativo e o preço dele vai a zero, você perdeu 100%, se você tem dois ativos e um deles foi a zero, você perdeu 50%, se tiver quatro e for a zero, perda de 25%.

O exemplo acima serve para as ações, criptomoedas, fundos imobiliários e outros investimentos que podem ir a zero.

Renda fixa não vai a zero, mas você pode perder dinheiro da mesma forma:

Se você tem R$ 5.000,00 investidos na poupança (rentabilidade de 6% ao ano), após um ano você terá R$ 5.381,00, se a inflação deste período foi de 10%, seu dinheiro rendeu 4% abaixo da inflação. Conclusão: Você não conseguirá comprar as mesmas coisas que compraria com R$ 5.000,00 um ano depois. Isso acontece na maioria dos anos.

Qual a estratégia ideal para investir?

A diversificação vai te proteger da inflação, de uma criptomoeda desvalorizar muito, de uma empresa da bolsa quebrar e te beneficiar ao investir em ativos que valorizam mais do que a inflação, de criptomoedas que subiram muito e de ações que distribuíram lucro aos investidores.

É impossível montar uma carteira de 100% de investimentos que só valorizaram, que não foram a zero e que ganharam da inflação, mas a diversificação combinada com boas escolhas de investimentos (estude e fuja das dicas que prometem grandes ganhos e sem risco), é garantia de ganhos expressivos no médio e longo prazo.

Vantagens da diversificação em investimentos:

1: Diminuir possibilidade de erros.

2: Aumentar a possibilidade de ganhos.

3: Reduzir riscos (inflacionário, fiscal, falência, cambial e outros).

4: Aumento de liquidez.

Basta diversificar em todos os tipos de investimentos?

Não! Exclua os investimentos muito arriscados e que oferecem péssimo retorno:

Ações de empresa que apresentam prejuízo (ignore o preço), fundos imobiliários que não possuem bons imóveis, ter muito dinheiro em poupança (só compensa um pequeno valor, para cobrir imprevistos que podem acontecer em um final de semana ou feriado), COE (retorno limitado e baixa liquidez), fundos de renda fixa e fundo multimercado (imposto elevado) e debênture (risco de calote e retorno pior do que boas ações).

Foque em ações de empresas que apresentam lucro, fundos imobiliários que possuem imóveis de boa localização, invista a reserva de emergência em investimentos que oferecem no mínimo 100% do CDI, por um momento da sua vida tenha um imóvel próprio (apesar da baixa liquidez, você reduz o risco do preço do aluguel disparar), euro e dólar para fugir do risco cambial, boas criptomoedas (enorme potencial de valorização) e outros ativos, respeitando seu perfil de risco e o tempo, que é fundamental para a valorização.

Um forte abraço e bons investimentos!

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Cleiton Vicente
Formado em Administração de Empresas, pós-graduado em Finanças com especializações em Investimentos, Psicologia Econômica e Planejamento Financeiro. Founder da "Finanças.Vc" e atua como Consultor de Finanças Pessoais e Investimentos com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro. No FDR, possui sua própria coluna com dicas e orientações sobre como investir com segurança e de forma descomplicada.