Aprenda a adquirir e cultivar o hábito de guardar dinheiro, mesmo não possuindo uma grande renda mensal

Em momentos de crise nas finanças, recorrer àquele dinheiro que foi guardado pode fazer a diferença. Mesmo não tendo uma grande renda mensal, em alguns casos, o planejamento financeiro pode permitir que se crie o hábito de criar uma reserva. 

Segundo dados divulgados recentemente pela Confederação de Dirigentes Lojistas (CNDL), 67% dos brasileiros não guardam nenhuma quantia no mês. Para ajudar a mudar essa estimativa, o educador financeiro Tiago Cespe, criador da Cespe Educação Financeira separou algumas dicas de como aprender a criar o hábito de guardar dinheiro.

“Muitas pessoas acreditam que só é possível guardar dinheiro se o salário for um valor exorbitante, mas, com um pouco de disciplina e cuidado, reservar uma pequena quantia para emergências ou projetos futuros é possível”, explica Cespe.

Desenvolvendo o hábito de guardar dinheiro

Assim como qualquer outra atividade,  guardar dinheiro é um hábito que, no início, pode exigir um pouco de empenho, mas com o tempo acaba se tornando algo.

“O primeiro passo é fazer uma lista de tudo o que você gasta durante o mês, e essa lista precisa ter tudo, literalmente, como por exemplo um corte de cabelo, o café da manhã na padaria, gastos com crédito no celular e refeições em restaurantes ou por aplicativos de delivery”, ressalta o educador financeiro. 

Após organizar a lista é hora de selecionar os gastos que não tem como cortar, como é o caso da conta de energia elétrica e água, o gás e as despesas de mercado dos itens necessários.

“Ao invés de pedir comida por delivery, aproveite para cozinhar em família, se o celular é pré-pago, procure um plano mais em conta; se a pessoa só se locomove com o carro, ande mais de transporte público, enfim, são pequenos passos capazes de mudar completamente o orçamento do mês”, diz Cespe. 

Outro passo é traçar suas metas e objetivos. Muitos sonham com a casa própria, um carro novo ou até com o casamento dos sonhos. Alguns costumam realizar essas aquisições sem qualquer planejamento, pois acreditam que parcelar o valor total é a solução. Mas  imprevistos podem acontecer, e uma pequena parcela pode virar uma dívida imensa.

 “É importante reservar uma boa quantia para algum projeto maior, isso acaba motivando as pessoas a economizar, pois elas ficam empolgadas em realizar o sonho e percebem que tudo fica mais fácil quando se tem uma boa reserva para dar como entrada”, pontua o especialista.

 Sobre o valor ideal a ser guardado, qualquer valor já é válido, o ideal mesmo é que seja uma quantia que não comprometa o pagamento das contas essenciais. Sendo assim, podem ser valores como R$10, R$20 ou R$30 por mês. Mesmo sendo quantias pequenas, a longo prazo os resultados podem ser bastante surpreendentes e você criará a sua reserva para emergências.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.