40% das famílias brasileiras têm queda em sua renda; entenda os motivos

Uma pesquisa da empresa de dados TransUnion indica que 40% dos brasileiros experimentaram uma queda na renda mensal durante o primeiro trimestre de 2022. Os que disseram ter permanecido com a mesma renda somaram 34%, enquanto 26% relataram aumento na renda mensal.

O percentual de pessoas que dizem viver com menos dinheiro é ainda maior entre as classes mais baixas. Entre os que recebem até R$ 1 mil por mês, 53% disseram ter sofrido perda de renda no primeiro trimestre, enquanto 38% dos que ganham entre R$ 1 mil e R$ 5 mil afirmaram o mesmo.

Em faixas mais altas o percentual é bem inferior: 35% entre quem ganha de R$ 5 mil a R$ 10 mil e 24% entre os que ganham mais de R$ 10 mil por mês.

A redução do orçamento levou os brasileiros a cortar uma série de gastos. 49% dos entrevistados pela TransUnion disseram ter deixado de jantar fora, viajar ou frequentar lugares como cinema, teatro e shows. Outros 43% apontaram que terão que reduzir compras caras nos próximos meses.

A alta de preços segue como uma preocupação de quase todos (97%), enquanto 84% disseram já ter sentido o peso da inflação sobre o orçamento doméstico.

Desemprego e redução de salários

A causa imediata da queda de renda dos brasileiros está ligada ao mercado de trabalho, ainda pouco favorável para muitos. 24% das pessoas entrevistadas disseram que alguém em casa perdeu o emprego, enquanto 22% relataram redução do salário de algum familiar.

Por outro lado, apenas 7% disseram que alguém em casa conseguiu um emprego, ao mesmo tempo que 11% relataram aumento salarial e 13% disseram que um familiar iniciou um novo negócio.

Esses dados são confirmados por outros indicadores econômicos e sociais. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a taxa de desemprego no Brasil foi de 11,2% no trimestre encerrado em fevereiro, mais que o dobro de uma década atrás. A redução no rendimento médio dos trabalhadores também foi significativa, com queda de 8,8% em um ano, também segundo o IBGE.

A situação se torna ainda mais difícil devido à inflação alta. O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) variou 12,47% no acumulado de 12 meses até abril, indicando que o índice pode fechar acima de 10% pelo segundo ano seguido.

Expectativa sobre o futuro

Apesar da difícil situação vivida por muitos brasileiros, boa parte deles segue otimista quanto ao futuro. A pesquisa da TransUnion revela que 71% acredita que a renda poderá aumentar nos próximos 12 meses.

Isso contrasta com o “realismo” em relação às contas a pagar: 77% temem não conseguir pagar pelo menos uma conta nos próximos meses. Entre os que tiveram diminuição de renda, 60% confirmaram que deixarão de quitar pelo menos um débito.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amaury Nogueira
Amaury da Silva Nogueira é bacharelando em Letras/Edição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Apaixonado pelo universo da escrita, atua há dois anos como redator e realiza pesquisas sobre história da edição no Brasil. Além disso, atualmente pesquisa também sobre direitos e benefícios sociais para agregar conhecimento na redação do portal de notícias FDR.