Novos 1,8 milhões de cidadãos podem se vincular ao Auxílio Brasil; acompanhe

Pesquisa revela que o Brasil tem 1,8 milhão de famílias a mais em situação de extrema pobreza. Os dados do próprio Cadastro Único reforçam a necessidade de inclusão de novos segurados na folha de pagamento do Auxílio Brasil. Atualmente o programa contempla 18 milhões de cidadãos. Acompanhe.

Novos 1,8 milhões de cidadãos podem se vincular ao Auxílio Brasil; acompanhe (Imagem: FDR)
Novos 1,8 milhões de cidadãos podem se vincular ao Auxílio Brasil; acompanhe (Imagem: FDR)

No primeiro trimestre deste ano o Brasil registrou novas 1,8 milhões de família em situação de extrema pobreza. Houve uma alta de 11,8% em comparação com o ano de 2021, o que implica dizer que o Auxílio Brasil deveria ser reforçado.

Ao todo, atualmente, o país soma cerca de 17,5 milhões de famílias que sobrevivem com uma renda per capita mensal de R$ 105. No entanto, até o momento o Ministério da Cidadania não se pronunciou sobre a ampliação do seu programa social.

Até 2021, haviam 15 milhões de famílias na faixa de extrema pobreza. Em março de 2020 esse número era de 13 milhões. É válido ressaltar que o país voltou ao mapa da fome, no qual tinha sido retirado mediante a implementação do Bolsa Família.

Vulneráveis estão inscritos no Cadastro Único

O levantamento só pode ser realizado uma vez em que esse grupo já se vinculou ao cadúnico. Isso significa dizer que perante a lei que determina o funcionamento do Auxílio Brasil eles já deveriam estar sendo contemplados pelo projeto.

Para ter acesso as mensalidades de R$ 400 o ministério da cidadania exige que os seguintes critérios:

  • Ter renda familiar per capita de até R$ 89; ou
  • Ter renda familiar per capita de até R$ 178 (no caso de famílias que tenham em sua composição gestantes, nutrizes, crianças e/ou adolescentes até 17 anos);
  • Estar inscrito no CadÚnico;
  • Estar com dados atualizados no CadÚnico há, pelo menos, dois anos.
  • Crianças e adolescentes com idade escolar (entre 6 e 15 anos) devem ter, no mínimo, 85% de presença nas aulas;
  • Os jovens entre 16 e 17 anos, a frequência mínima exigida é de 75%;
  • Crianças menores de 7 anos precisam estar com as vacinas em dia e devem comparecer ao posto de saúde para realizar o monitoramento e o acompanhamento do crescimento;
  • Gestantes devem comparecer às consultas de pré-natal e participar de atividades educativas ofertadas pelo Ministério da Saúde sobre aleitamento materno e alimentação saudável;
  • Acompanhamento de saúde das mulheres que possuem 14 a 44 anos de idade.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.