Valores a receber: quando começa a segunda etapa de liberações?

Com data marcada para começar no dia 2 de maio, a segunda etapa de consultas dos valores a receber segue sem previsão de retomada. O retorno das atividades foi adiado em virtude da greve adotada pelos servidores do Banco Central (BC), desenvolvedor do sistema.

Valores a receber: quando começa a segunda etapa de liberações?
Valores a receber: quando começa a segunda etapa de liberações? (Imagem: Montagem/FDR)

De acordo com o Banco Central, aproximadamente, R$ 8 bilhões foram esquecidos pelos brasileiros. Na primeira etapa foram disponibilizados cerca de R$ 4 bilhões. É importante reforçar que o dinheiro a ser resgatado é proveniente de:

  • Contas-correntes ou de poupança encerradas, com saldo disponível;
  • Tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado pelo banco com o BC;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito;
  • Recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.

Segundo informações do BC, cerca de 114 milhões de pessoas físicas e 2,7 milhões de pessoas jurídicas já acessaram o site de consultas criado pela entidade para verificar se existem valores a receber. As consultas podem ser realizadas pelo site: valoresareceber.bcb.gov.br assim que ele for retomado.

Assim que a segunda fase de consultas dos valores a receber for retomada, ao acessar o site eles serão informados sobre a data e horário em que deverão retornar à plataforma para agendar a retirada dos valores. Contudo, será obrigatório ter uma conta no nível prata ou ouro no portal Gov.br. 

As pessoas com conta bronze têm a chance de elevar o nível para prata ao fazerem o acesso usando os dados de conta bancária vinculada a um dos bancos credenciados pelo Governo Federal.

Desde o dia 17, o sistema Valores a Receber passa por uma reformulação. Confira, abaixo, algumas das mudanças para o segundo ciclo:

  • Não haverá mais necessidade de agendamento. Será possível pedir o resgate dos recursos no momento da primeira consulta;
  • O sistema contará com informações novas repassadas pelas instituições financeiras. Ou seja, mesmo quem já resgatou seus recursos e quem não tinha valores a receber na primeira etapa deve consultar novamente o sistema, pois os dados serão atualizados e pode haver recurso novo.

Confira detalhadamente o passo a passo para a retirada de valores a seguir:

  • Passo 1 – Acessar o site de consulta na data e período informado para saque do primeiro período. Quem se esquecer deve aguardar até o dia 7 de março;
  • Passo 2 – Fazer login na plataforma Gov.br através de conta nível prata ou ouro. Quem não possuir conta junto ao Governo deve criar um cadastro e, de preferência, fazer o acesso usando os dados bancários para atingir o nível prata. Não é recomendado criar a conta e elevar o nível no dia de agendamento do resgate;
  • Passo 3 – Leia e aceite o termo de responsabilidade;
  • Passo 4 – Verifique o valor a receber que será devolvido pela instituição de origem;
  • Passo 5 – Clique na opção indicada: “Solicitar por aqui”. A instituição financeira não irá oferecer a devolução via PIX. O usuário deverá entrar em contato pelo telefone ou e-mail informado para combinar a forma de retirada.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.