Investimentos estrangeiros podem ter isenção de Imposto de Renda; confira

O governo solicitou ao Congresso Nacional que inclua no projeto de Lei do marco de garantias (PL 4188/2021) a isenção de Imposto de Renda para investimentos estrangeiros em títulos de renda fixa corporativos. Isso abrange debêntures, debêntures incentivadas, CRI e CRA.

Investimentos estrangeiros podem ter isenção de Imposto de Renda; confira
Investimentos estrangeiros podem ter isenção de Imposto de Renda; confira (Imagem: Montagem/FDR)

A medida busca atrair recursos externos. Desse modo, o valor do dólar pode diminuir. De qualquer forma, existe a expectativa de a decisão favoreça na diminuição do custo de captação das empresas.

A alteração foi antecipada, em entrevista ao Valor, pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). O deputado João Maia (PL-RN) deve inserir a mudança no projeto que cria o marco das garantias. A votação do texto deve ocorrer na semana do dia 17 de maio, no plenário.

Maia revelou que ainda não decidiu se acata a emenda. Ele disse que apresentara seu parecer mais para o fim de maio. “Mas tem uma tendência de achar a questão meritória par atrair o investimento estrangeiro”.

De acordo com o deputado, o governo interpreta que a taxação sobre os investidores estrangeiros torna, atualmente, menos atrativos esses títulos.

A atual isenção de Imposto de Renda para investimentos estrangeiros

Atualmente, a isenção de Imposto de Renda para estrangeiros vale para renda variável e títulos públicos. Já os representantes do Ministério da Economia propuseram o aumento do benefício fiscal para títulos de renda fixa corporativos.

Essa medida é uma antiga demanda do setor, que observa nela um grande passo para o desenvolvimento do mercado secundário de crédito privado no Brasil.

Como justificativa para a medida, o governo usou o relatório da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (Abvcap). O documento informa que, em caso de aprovação da mudança, existiria um alto potencial de atração de recursos estrangeiros.

Com relação aos títulos isentos de IR, a participação nominal de investidores não residentes no Brasil totaliza R$ 1,4 trilhão. Na outra ponta, nos títulos sem isenção de renda fixa corporativa, a participação de capital externo é de somente R$ 22 bilhões.

Caso a participação de estrangeira na renda fixa corporativa subir — do nível atual de 2,54% — para aproximadamente 10% ou 20% do volume de operações, a estimativa é de entrada de mais R$ 70 bilhões e R$ 150 bilhões em investimentos externos no Brasil.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.