Auxílio Brasil: entenda o que pode cancelar o seu benefício e como recuperá-lo

Pontos-chave
  • Saiba como manter seu Auxílio Brasil em dia;
  • Fila de espera ultrapassa 1 milhão de pessoas;
  • CadÚnico é a principal plataforma de triagem.

Falta de atualização no CadÚnico suspende os pagamentos do Auxílio Brasil. Nessa semana, foi divulgado um novo levantamento com o número de pessoas nas filas de espera para a inclusão no projeto social. Aqueles que atualmente são contemplados devem ficar atentos para não terem o abono suspenso e aguardar os mais de 1 milhão de pedidos em análise. Entenda.

Auxílio Brasil: entenda o que pode cancelar o seu benefício e como recuperar (Imagem: FDR)
Auxílio Brasil: entenda o que pode cancelar o seu benefício e como recuperar (Imagem: FDR)

Se você já é beneficiário do Auxílio Brasil, fique atento. Um novo levantamento revelou que o ministério da cidadania tem mais de 1 milhão de novos cadastros aguardando para serem aprovados. Isso significa que atualmente ter o pagamento suspenso irá te colocar no fim desta fila.

Por quais motivos meu cadastro pode ser cancelado?

O principal motivo para o cancelamento dos segurados já validados é a desatualização da documentação no Cadastro Único. O governo exige que os informes do cidadão e seus familiares estejam todos em dia dentro da plataforma social.

É válido ressaltar que, ao fim de cada calendário de pagamento, o Ministério da Cidadania fiscaliza os informes do CadÚnico para determinar quem são os próximos contemplados. Desse modo, o cadastro com pendências ou irregularidades é imediatamente afetado.

Além disso, há ainda a suspensão válida, quando são descumpridas as regras que garantem a permanência no programa. Todos os segurados do Auxílio Brasil precisam obrigatoriamente:

  • Ter renda familiar per capita de até R$ 89; ou
  • Ter renda familiar per capita de até R$ 178 (no caso de famílias que tenham em sua composição gestantes, nutrizes, crianças e/ou adolescentes até 17 anos);
  • Estar inscrito no CadÚnico;
  • Estar com dados atualizados no CadÚnico há, pelo menos, dois anos.
  • Crianças e adolescentes com idade escolar (entre 6 e 15 anos) devem ter, no mínimo, 85% de presença nas aulas;
  • Os jovens entre 16 e 17 anos, a frequência mínima exigida é de 75%;
  • Crianças menores de 7 anos precisam estar com as vacinas em dia e devem comparecer ao posto de saúde para realizar o monitoramento e o acompanhamento do crescimento;
  • Gestantes devem comparecer às consultas de pré-natal e participar de atividades educativas ofertadas pelo Ministério da Saúde sobre aleitamento materno e alimentação saudável;
  • Acompanhamento de saúde das mulheres que possuem 14 a 44 anos de idade.

Onde e como devo atualizar os meus informes no CadÚnico?

A atualização do documento deve ser feita presencialmente. Isso implica dizer que o cidadão precisa ir até um Centro de Assistência Social mais próximo da sua residência e levar os registros necessários. Normalmente eles são:

  • RG
  • CPF
  • Certidão de Nascimento
  • Carteira de Trabalho
  • Título de Eleitor
  • Certidão de Casamento
  • Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI)
  • Comprovantes de renda
  • Comprovante de residência
  • Histórico escolar da rede pública

Posso consultar o meu Cadastro Único pela internet?

Sim! A consulta pode ser feita pelo site ou aplicativo da plataforma. Para isso, basta seguir as etapas abaixo:

  • Acesse o portal Gov.br ou baixe o app Gov.br e clique em “Criar conta gov.br”;
  • Caso possua CNH ou biometria facial cadastrada na Justiça Eleitoral faça o reconhecimento facial pelo aplicativo;
  • Se não for o seu caso, crie a conta respondendo um breve questionário e será criada uma conta nível Bronze;
  • Outra forma de criar a conta Gov.br é por meio do acesso em um dos bancos credenciados. Nesse caso, a conta já será nível Ouro ou Prata.

De quanto em quanto tempo devo atualizar o meu Cadastro Único?

Normalmente a atualização deve ser feita a cada dois anos, porém havendo mudanças na sua documentação é preciso repassar para o poder público. Isso acontece nos seguintes casos:

  • nascimento ou morte de alguém na família;
  • saída de um integrante para outra casa;
  • mudança de endereço;
  • entrada das crianças na escola ou transferência de escola;
  • aumento ou diminuição da renda, entre outros.
  • Mudança no número de integrantes da família, seja por morte, nascimento, adoção ou casamento
  • Mudança de telefone
  • Matrícula de um membro menor de 21 anos em escola de ensino básico ou mudança de escola
  • Mudança da renda familiar

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.