Metaverso: Facebook vai cobrar comissão para venda de itens; saiba como vai funcionar

A Meta, controladora do Facebook, vai cobrar dos criadores uma comissão de aproximadamente 47,5% sobre a venda de ativos digitais e experiências realizadas dentro da Horizon Worlds, plataforma de realidade virtual da companhia. A informação foi levantada pela Reuters.

Metaverso: Meta vai cobrar comissão para venda de itens; saiba como vai funcionar
Metaverso: Meta vai cobrar comissão para venda de itens; saiba como vai funcionar (Imagem: Montagem/FDR)

Essa taxa abrange uma tarifa de 30% relativa à plataforma de hardware para vendas realizadas por meio da Meta Quest Stores — onde são feitas as vendas de aplicativos e jogos destinados a seus óculos de realidade virtual.

Ainda há 17,5% de tarifas adicionais relativas à plataforma de Horizon, segundo porta-voz consultado pela Reuters.

Nesta segunda-feira (11), A Meta informou que passará a testar ferramentas para os que os criadores de itens digitais vendam produtos no metaverso da companhia. Desse modo, esses usuários poderão lucrar com isso.

Estratégia de cobrança pela Meta desagrada desenvolvedores

Mark Zuckerberg, presidente-executivo da Meta, vem sendo um crítico da comissão de 30% cobrada pela Apple de desenvolvedores de aplicativos.

Em agosto de 2020, em uma conferência interna, Zuckerberg alegou que as políticas da Apple eram “monopolistas e prejudiciais” aos consumidores. O executivo também disse que essas medidas da concorrente “impediam a inovação e a competição”.

Já em junho do ano passado, o fundador do Facebook declarou, em postagem, que seria anunciada uma taxa abaixo da praticada pela Apple. Em novembro, ele destacou que a comissão de 30% “inviabilizava oportunidades para que criadores lucrassem com seu trabalho”.

Apesar disso, a Meta possui a estratégia de cobrar quase a metade do preço das vendas em sua plataforma. Segundo apurado pela agência de notícias, muitos dos desenvolvedores de aplicativo se irritaram por isso.

O Horizon Worlds da Meta é uma plataforma expansiva de realidade virtual. Já o Horizon Venues tem foco em eventos virtuais. Estas são as primeiras iterações de espaços parecidos com o metaverso.

Os dois foram lançados em dezembro do ano passado, de forma exclusiva para o Oculus Meta Quest 2. Este é um óculos de realidade aumentada do Meta.

Em breve, a companhia planeja disponibilizar o Worlds para desktop, dispositivos móveis e consoles de videogame. O Worlds tem foco de possibilitar uma utilização mais livre da plataforma virtual, com total centralidade em experiências criadas pelos usuários.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.