Novo investimento busca empresas apenas com CEOs “de bom caráter”; Zuckerberg e Musk ficaram de fora

Na última quinta-feira (24), nos Estados Unidos, foi lançado o ETF Return On Character (ou Retorno por caráter, na tradução livre). Este investimento é composto por empresas, exclusivamente, baseado no comportamento de seus líderes. Executivos como Mark Zuckerberg e Elon Musk ficaram de fora.

Novo investimento busca empresas apenas com CEOs "de bom caráter"; Zuckerberg e Musk ficaram de fora
Novo investimento busca empresas apenas com CEOs “de bom caráter”; Zuckerberg e Musk ficaram de fora (Imagem: Montagem/FDR)

A gestora do ETF (fundo de índice), ROC Investments, argumenta que, consistentemente, o mercado precifica mal o valor do “caráter excepcional” no longo prazo. Isso ocorre por não medi-lo.

A responsável pelo Return On Character desenvolveu uma estratégia baseada no caráter de liderança corporativa. Em comunicado, a gestora alega que “a estratégia central será identificar e comprar empresas norte-americanas com comportamento de gestão que exemplifique o mais alto nível de caráter”.

A gestora estabeleceu quatro pilares do modelo criado: integridade, responsabilidade, perdão e compaixão. A aplicação cobra taxa de administração de 0,49% ao ano.

À Bloomberg, o fundador da ROC Investments, Dan Cooper, informa que o fator que estabelece as ações presentes no ETF é a pesquisa realizada pela empresa. Ou seja, não são considerados o valor de mercado ou a popularidade.

O levantamento considera a linguagem pública dos CEOs de aproximadamente mil das maiores companhias dos Estados Unidos.

Composição da carteira do novo investimento Return On Character

A companhia informa que a carteira será composta por 75 a 150 ações com os maiores “escores de caráter”. Anualmente, será realizada a revisão. A cada trimestre, a gestora revisará o peso de cada papel.

Destas companhias presentes na carteira do ETF, as com maiores participações são: Apple, sob a liderança de Tim Cook (6,60%); Microsoft, sob a liderança de Satya Nadella (6,26%); e Amazon, sob a liderança de Andy Jassy (4,53%).

Algumas empresas de líderes bastante conhecidos ficaram de fora da lista. Este foi o caso da Tesla, de Elon Musk; e Meta (antigo Facebook), de Mark Zuckerberg. Os dois executivos estão associados a polêmicas.

Musk teve o nome envolvido em problemas com reguladores de mercado. isso por conta da publicação de informações não públicas da companhia via redes sociais. Já Zuckerberg tem sido ligado a denúncia sobre saúde mental e privacidade dos usuários do Facebook.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.